quarta-feira, 18 de maio de 2011

BIBLIA - A SINGULARIDADE DA BIBLIA

Estudo tirado do livro: Evidencia que exige um veredito - Josh McDowell

________________________________________________







1A. A SINGULARIDADE DAS ESCRITURAS


1B. Introdução


  Parece um disco com defeito. Estou sempre ouvindo a mesma frase: "Não vai me dizer que você lê a Bíblia!" Algumas vezes isso é dito com outras palavras: "Ah! que é isso? A Bíblia é um livro igual aos outros; você devia é ler... etc." E existe aquele estudante que tem orgulho pelo fato de sua Bíblia estar na prateleira junto com os outros livros, talvez empoeirada, nada gasta pelo uso, mas lá está ela junto com as outras "grandes" obras.
  Existe também o professor que menospreza a Bíblia diante dos alunos e que zomba só da idéia de pensar em lê-la, quanto mais de tê-la em sua biblioteca particular.
  As indagações e observações acima mencionadas me perturbaram quando eu tentava, como um não cristão, refutar a Bíblia como a Palavra de Deus ao homem.  Finalmente cheguei à conclusão de que eram simples chavões ditos por homens e mulheres, quer adeptos a preconceitos e idéias preconcebidas, quer fossem simplesmente pessoas ignorantes e incultas.
  Pelo que é, a Bíblia deve estar no alto da estante. A Bíblia é "única". E exatamente isso. Os pensamentos que desenvolvi para descrever a Bíblia resumem-se na palavra "única".
  O dicionário define "único" como: "1. Que é um só; 2. de cuja espécie não existe outro; 3. exclusivo; excepcional. 4. a que nada é comparável... 5. superior a todos os demais".
  M. Montiero-Williams, antigo professor de sânscrito, que passou 42 anos estudando livros orientais e comparando-os com a Bíblia, afirmou: "Se você quiser, empilhe-os no lado esquerdo de sua escrivaninha; mas coloque a sua Bíblia do lado direito - apenas ela, só ela - e que haja uma boa distância entre a pilha de livros e a Bíblia. Pois existe uma grande distância entre ela e os chamados livros sagrados do Oriente, de modo que estes se opõem àquela total, completa e definitivamente... um abismo real que nenhuma ciência do pensamento religioso conseguirá transpor". 18/314,315


2B. A Bíblia é Única.
  É um livro "diferente de todos os demais" nos seguintes aspectos (além de em muitos e muitos outros)
:
1C. ÚNICA NA SUA COERÊNCIA. Esse é um livro:


1.Escrito durante um período de mais de 1.500 anos.


2.Escrito durante mais de 40 gerações.


3.Escrito por mais de 40 autores, envolvidos nas mais diferentes atividades, inclusive reis, camponeses, filósofos, pescadores, poetas, estadistas, estudiosos, etc:
Moisés, um líder político, que estudou nas universidades do Egito;
Pedro, um pescador;
Amos, um boiadeiro;
Josué, um general;
Neemias, um copeiro;
Daniel, um primeiro-ministro;
Lucas, um medico;
Salomão, um rei;
Mateus, um coletor de impostos;
Paulo, um rabino.


4. Escrito em diferentes lugares:
Moisés, no deserto;
Jeremias, numa masmorra;
Daniel, numa colina e num palácio;
Paulo, dentro de uma prisão;
Lucas, enquanto viajava;
João, na ilha de Patmos;
Outros, nos rigores de uma campanha militar.


5.Escrito em diferentes condições: Davi, em tempos de guerra; Salomão, em tempos de paz.


6.Escrito sob diferentes circunstâncias:
  Alguns escreveram enquanto experimentavam o auge da alegria, enquanto outros escreveram numa profunda tristeza e desespero.


7.Escrito em três continentes: Ásia, África e Europa.


8.Escrito em três idiomas:
Hebraico: a língua do Antigo Testamento.
Em 2 Reis 18:26-28 essa língua é chamada de "judaica".
Em Isaías 19:18, de "língua de Canaã".
Aramaico: a "língua franca" do Oriente Próximo até a época de Alexandre o (Grande século VI a.C. - século IV a.C). 32/218
Grego: a língua do Novo Testamento. Foi o idioma de uso internacional à época de Cristo.


9. A Bíblia trata de centenas de temas controversos. Tema controverso é aquele que pode gerar opiniões divergentes, quando mencionado ou discutido.
  Os autores bíblicos falaram de centenas de temas controversos com harmonia e coerência, desde Gênesis até Apocalipse. Há uma única história que vai se revelando: "A redenção do homem por parte de Deus."
  Geisler e Nix assim se expressam a respeito: "O 'Paraíso Perdido' de Gênesis se torna o 'Paraíso Recuperado* de Apocalipse. Enquanto que o acesso à árvore da vida está fechado em Gênesis, encontra-se aberto para todo o sempre em Apocalipse". 32/24
  F. F. Bruce comenta: "Qualquer parte do corpo humano só pode ser devidamente entendida em função do corpo na sua totalidade. E qualquer parte da Bíblia só pode ser devidamente entendida em função da Bíblia como um todo". 15/89
  Bruce conclui: "À primeira vista, a Bíblia parece ser uma coleção de literatura, principalmente judaica.
 
  Se investigarmos as circunstâncias em que foram escritos os vários documentos bíblicos, descobriremos que foram escritos aos poucos, durante um período de aproximadamente 1.400 anos. Os escritores escreveram em vários países, desde a Itália, no ocidente, até a Mesopotâmia, e possivelmente a Pérsia, no oriente. Os escritores formavam eles mesmos um grupo heterogêneo de pessoas, não apenas separados uns dos outros por centenas de anos e centenas de quilômetros, mas pertencentes aos mais variados ramos de atividades. Havia reis, boiadeiros, militares, legisladores, pescadores, estadistas, pessoas da corte, sacerdotes e profetas, um rabino fabricante de tendas e um médico gentílico, para não falar de outros de quem nada sabemos, senão os escritos que nos deixaram. Os próprios escritos pertencem a uma grande diversidade de estilos literários. Incluem histórias, lei (civil, criminal, ética, ritual, sanitária), poesia religiosa, textos didáticos, poesia lírica, parábolas e alegorias, biografia, correspondência pessoal, reminiscências pessoais, diários, além dos estilos caracteristicamente bíblicos de literaturas proféticas e apocalípticas."


  "Por tudo isso, a Bíblia não é uma simples antologia; existe uma unidade que dá coesão ao todo. Uma antologia é compilada por um antologista, mas nenhum antologista compilou a Bíblia." 15/88


10. Conclusão acerca de coerência — uma comparação com Great Books of Western World (Grandes Livros do Mundo Ocidental).
  Um representante da editora dos Great Books of Western World veio à minha casa para recrutar vendedores para a coleção. Ele abriu o cartaz de propaganda da coleção e passou cinco minutos nos falando sobre a coleção Great Books of Western World e nós passamos uma hora e meia falando a ele sobre o maior dos Livros.


  Eu o desafiei a apanhar apenas dez dos autores, devendo todos eles ter a mesma profissão, ser da mesma geração e do mesmo lugar, terem vivido na mesma época e experimentado as mesmas circunstâncias, falarem a mesma língua, e analisarem um único tema controvertido. (A Bíblia fala de centenas com harmonia e concordância).
  Então indaguei: "Será que esses autores iriam concordar entre si?" Ele pensou por um momento e então respondeu: "Não!" E mais uma vez perguntei: "E que tipo de livro você teria?" E ele respondeu imediatamente: "Um amontoado de idéias".
  Dois dias depois ele entregou a vida a Cristo (o que é o tema da Bíblia).
  Por que tudo isso? É muito simples! Qualquer pessoa que esteja sinceramente procurando a verdade iria pelo menos analisar um livro com as características singulares acima mencionadas.
 
2C. ÚNICA EM CIRCULAÇÃO
  Basicamente estou citando dados relativos apenas às Sociedades Bíblicas. Gs dados foram extraídos da Enciclopédia Britânica, Encyclopaedia Americana (Enciclopédia Americana), One Thousand Wonderful Things About the Bible (Mil Maravilhas Sobre a Bíblia; por Pickering), Ali About the Bible (Tudo Acerca da Bíblia, por Collett), Protestant Christian Evi-dences (Provas Cristãs Protestantes; por B. Ramm) e A General Introduction to the Bible (Uma Introdução Geral à Bíblia; por Geisler e Nix).


  A Bíblia tem sido lida por mais pessoas e publicada em mais línguas do que qualquer outro livro.
  Existem mais cópias impressas de toda a Bíblia e mais porções e seleções dela do que de qualquer outro livro em toda a história. Alguém poderá refutar, afirmando que num determinado mês ou ano algum livro foi mais vendido. No entanto, em termos absolutos não existe qualquer livro que alcance, ou que mesmo comece a se igualar, à Bíblia, em termos de circulação. O primeiro grande livro a ser impresso foi a Vulgata (versão da Bíblia em latim), impressa por Gutenberg. 38/478-480.
  Hy Pickering diz que, cerca de trinta anos atrás, para a Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira atender à demanda, teve que imprimir "uma cópia a cada três segundos do dia ou da noite; 22 cópias a cada minuto do dia ou da noite; 1.369 cópias a cada hora do dia ou da noite; 32.876 cópias diariamente durante o ano. E é bem interessante saber que esse número surpreendente de Bíblias foi despachado para diversas partes do mundo em 4.583 caixas, num peso de 490 toneladas". 73/227
 
 The Cambridge History of the Bible (A História da Bíblia, de Cambridge) diz: "Nenhum outro livro tem experimentado uma circulação constante que se aproxime da circulação da Bíblia". 38/479
  O crítico está certo: "Isso não prova que a Bíblia seja a Palavra de Deus! " Mas mostra de um modo bem concreto que a Bíblia é única.


Pesquisador: Pastor Charles Maciel Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário