domingo, 21 de maio de 2017

CURSO CAPELANIA CRISTÃ – RIO DAS OSTRAS-RJ - 27/05/2017


CURSO CAPELANIA CRISTÃ – RIO DAS OSTRAS-RJ - 27/05/2017
31ª TURMA DE CAPELANIA


LOCAL: IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS MINIST.SOCORRO URGENTE
Pastor Claudecir Ferreira
Pastora Gabriele Gloria
RUA BOUGANVILLE, Nº101 
ANCORA  - RIO DAS OSTRAS-RJ.


DATA: 27 DE MAIO DE 2017 - SÁBADO
HORÁRIO: DAS 14 HORAS ÀS 22 HORAS
INVESTIMENTO: R$ 65,00
OBS. LEVAR UMA FOTO 3X4 / CÓPIA DO RG E CPF / SERÁ PREENCHIDA UMA FICHA DE MATRICULA NO DIA.


APOSTILA ENCADERNADA
DIPLOMA DE CAPELÃO
ATA NOMEAÇÃO CAPELÃO
CREDENCIAL DE CAPELÃO


DIDÁTICA:
- CAPELANIA HOSPITALAR
- CAPELANIA PRISIONAL (CARCERÁRIA)
- CAPELANIA MILITAR
- CAPELANIA ESCOLAR
- DEPENDENCIA QUIMICA


MINISTRANTE: Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.
CONTATO: (22) 99746-0635


Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.


quinta-feira, 18 de maio de 2017

CURSO CAPELANIA CRISTÃ - MACAÉ-RJ - 20/05/2017



CURSO CAPELANIA CRISTÃ - MACAÉ-RJ - 20/05/2017
30ª TURMA DE CAPELANIA



LOCAL: IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS MISSÃO FRATERNAL
Pastor Eliseu Barcelos
Pastor Adilson Araújo
RUA MEDEIROS, Nº1031 
NOVA HOLANDA - MACAÉ-RJ.



DATA: 20 DE MAIO DE 2017 - SÁBADO
HORÁRIO: DAS 14 HORAS ÀS 22 HORAS
INVESTIMENTO: R$ 65,00
OBS. LEVAR UMA FOTO 3X4 / CÓPIA DO RG E CPF / SERÁ PREENCHIDA UMA FICHA DE MATRICULA NO DIA.



APOSTILA ENCADERNADA
DIPLOMA DE CAPELÃO
ATA NOMEAÇÃO CAPELÃO
CREDENCIAL DE CAPELÃO



DIDÁTICA:
- CAPELANIA HOSPITALAR
- CAPELANIA PRISIONAL (CARCERÁRIA)
- CAPELANIA MILITAR
- CAPELANIA ESCOLAR
- DEPENDENCIA QUIMICA



MINISTRANTE: Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.
CONTATO: (22) 99746-0635



Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.

terça-feira, 9 de maio de 2017

BIBLIOLOGIA - OS LIVROS ANTIGOS - PR. ANTONIO GILBERTO

  

  A Bíblia é um livro antigo. Os livros antigos tinham a forma de rolos (Jr 36.2). Eram feitos de papiro ou pergaminho. O papiro é uma planta aquática que cresce junto a rios, lagos e banhados, no Oriente Próximo, cuja entrecasca servia para escrever. Essa planta existe ainda hoje no Sudão, na Galiléia Superior e no vale de Sarom. As tiras extraídas do papiro eram coladas umas às outras até formarem um rolo de qualquer extensão. Este material gráfico primitivo é mencionado muitas vezes na Bíblia, exemplos: Êxodo 2.3; Jó 8.11; Isaías 18.2. Em certas versões da Bíblia, o papiro é mencionado como junco; de fato, é um tipo de junco de grandes proporções. De papiro, deriva-se a nossa palavra papel. Seu uso na escrita vem de 3.000 a.C.

  Pergaminho é pele de animais, cortida e polida, utilizada na escrita. É material gráfico melhor que o papiro. Seu uso é mais recente que o do papiro. Vem dos primórdios da Era Cristã, apesar de já ser conhecido antes. É também mencionado na Bíblia, como em 2 Timóteo 4.13.

  A Bíblia foi originalmente escrita em forma de rolo, sendo cada livro um rolo. Assim, vemos, que, a princípio, os livros sagrados não estavam unidos uns aos outros como os temos agora em nossas Bíblias. O que tornou isso possível foi a invenção do papel no Século II, pelos chineses, bem como a do prelo, de tipos móveis, inventada em 1450, pelo alemão Gutemberg. Até então era tudo manuscrito pelos escribas de modo laborioso, lento e oneroso. Quanto a este aspecto da difusão de sua Palavra, Deus tem abençoado maravilhosamente, de modo que hoje milhões de exemplares das Escrituras são impressos com rapidez e facilidade em muitos pontos do globo. Também, graças aos progressos alcançados no campo das invenções e da tecnologia, podemos hoje transportar com toda comodidade um exemplar da Bíblia, coisa impossível nos tempos primitivos. Ainda hoje, devido aos ritos tradicionais, os rolos sagrados das Escrituras hebraicas continuam em uso nas sinagogas judaicas.




FONTE: ANTONIO GILBERTO - A BÍBLIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS (CPAD)


A NECESSIDADE DO ESTUDO DAS ESCRITURAS - BIBLIOLOGIA - pR. ANTONIO GILBERTO

  
  Isto está implícito em Salmo 119.130; Isaías 34.16; 2 Ti­móteo 2.15; 1 Pedro 3.15, e nos conduz a dois pontos de suma importância: a) porque devemos estudar a Bíblia, e b) como devemos estudar a Bíblia.

  Estudar é mais que ler; é aplicar a mente a um assunto, de modo sistemático e constante.

1. Porque devemos estudar a Bíblia

   a.  Ela é o único manual do crente na vida cristã e no trabalho do Senhor. O crente foi salvo para servir ao Senhor (Ef 2.10; 1 Pe 2.9). Sendo a Bíblia o livro texto do cristão, é importante que ele a maneje bem, para o fiel desempenho de sua missão (2 Tm 2.15). Um bom profissional sabe empregar com eficiência as ferramentas de seu ofício. Essa eficiência não é automática: vem pelo estudo e práti­ca. Assim deve ser o crente com relação ao seu manual - a Bíblia. Entre as promessas de Deus nesse sentido, temos uma muito maravilhosa em Isaías 55.11. Deus declara aí que sua Palavra não voltará vazia. Portanto, quando alguém toma tempo para estudar com propósito a Palavra de Deus, o efeito será glorioso quanto à edificação espiritual e ao engrandecimento do reino de Deus.

   b.  Ela alimenta nossas almas (Jr 15.16; Mt 4.4; 1 Pe 2.2). Não há dúvida de que o estudo da Palavra de Deus traz nutrição e crescimento espiritual. Ela é tão indispensável à alma, como o pão ao corpo. Nas passagens acima, ela é comparada ao alimento, porém, este só nutre o corpo quando é absorvido pelo organismo. O texto de 1 Pedro 2.2 fala do intenso apetite dos recém-nascidos; assim deve ser o nosso desejo pela Palavra. Bom apetite pela Bíblia é si­nal de saúde espiritual.

  Como está o seu apetite pela Bíblia, leitor?

   c.  Ela é o instrumento que o Espírito Santo usa (Ef 6.17). Se em nós houver abundância da Palavra de Deus. o Espírito Santo terá o instrumento com que operar. É preci­so, pois. meditar nela (Js 1.8; SI 1.2). Ê preciso deixar que ela domine todas as esferas da nossa vida. nossos pensa­mentos, nosso coração e, assim, molde todo o nosso viver diário. Em suma: precisamos ficar saturados da Palavra de Deus.

  Um requisito primordial para Deus responder às nossas orações é estarmos saturados da sua Palavra (Jo 15.7). Aqui está, em parte, a razão de muitas orações não serem respondidas: desinteresse pela Palavra de Deus. (Leia o texto outra vez.) Pelo menos três fatos estão implícitos aqui: a) Na oração precisamos apoiar nossa fé nas promes­sas de Deus, e essas promessas estão na Bíblia, b) Por sua vez, a Palavra de Deus produz fé em nós (Rm 10.17). c) De­vemos fazer nossas petições segundo a vontade de Deus (1 Jo 5.14), e um dos meios de saber-se a vontade de Deus é através da sua Palavra.

  Na vida cristã, e no trabalho do Senhor em geral, o Espírito Santo só nos lembrará o texto bíblico preciso, se de antemão o conhecermos (Jo 14.26). - É possível o leitor ser lembrado de algo que não sabe? Pense se é possível! Portanto, o Espírito Santo quer não somente encher o crente, mas também encontrar nele o instrumento com que operar     a Palavra de Deus.

  Ter o Espírito e não conhecer a Palavra, conduz ao fanatismo. Pessoas assim querem usar o Espírito em vez de Ele usá-las. Conhecer a Palavra e não ter o Espírito conduz ao formalismo. Estes dois extremos são igualmente perigosos.

   d. Ela enriquece espiritualmente a vida do cristão (SI 119.72). Essas riquezas vêm pela revelação do Espírito, primeiramente (Ef 1.17). O leitor que procurar entender a Bíblia somente através do intelecto, muito cedo desistirá do seu intento. Só o Espírito de Deus conhece as coisas de Deus (1 Co 2.10). Um renomado expositor cristão afirma que há 32.000 promessas na Bíblia toda! Pensai que fonte de riqueza há ali! Entre as riquezas derivadas da Bíblia es­tá a formação do caráter ideal, bem como a moldagem da vida cristã como um todo. É a-Bíblia a melhor diretriz de conduta humana; a melhor formadora do caráter. Os princípios que modelam nossa vida devem proceder dela.

  A falta de uma correta e pronta orientação espiritual dentro da Palavra de Deus. especialmente quanto a novos convertidos, tem resultado em inúmeras vidas desequilibradas, doentes pelo resto da existência. Essas, só um milagre de Deus pode reajustá-las. Pessoas assim, ferem-se a si mesmas e aos que as rodeiam.

  A Bíblia é a revelação de Deus à humanidade. Tudo que Deus tem para o homem e requer do homem, e tudo que o homem precisa saber espiritualmente da parte de Deus quanto à sua redenção, conduta cristã e felicidade eterna, está revelado na Bíblia. Deus não tem outra revela­ção escrita além da Bíblia. Tudo o que o homem tem a fa­zer é tomar o Livro e apropriar-se dele pela fé. O autor da Bíblia é Deus, seu real intérprete é o Espírito Santo, e seu tema central é o Senhor Jesus Cristo. O homem deve ler a Bíblia para ser sábio, crer na Bíblia para ser salvo, e prati­car a Bíblia para ser santo.

2. Como devemos estudar a Bíblia

          a.  Leia a Bíblia conhecendo seu autor. Isto é de supre­ma importância, é a melhor maneira de estudar a Bíblia. Ela é o único livro cujo autor está sempre presente quando é lida. O autor de um livro é a pessoa que melhor pode ex­plicá-lo. A Bíblia é um livro fácil e ao mesmo tempo difícil; simples e ao mesmo tempo complexo. Não basta apenas ler suas palavras e analisar suas declarações. Tudo isso é indispensável, mas não basta. É preciso conhecer e amar o Autor do Livro. Conhecendo o Autor, a compreensão será mais fácil.
Façamos como Maria, que aprendia aos pés do Mestre (Lc 10.39). Esse é ainda o melhor lugar para o aluno!

            b.  Leia a Bíblia diariamente (Dt 17.19). Esta regra é excelente. Presume-se que 90fr dos crentes não lêem a Bíblia diariamente: não é de admirar haver tantos crentes frios nas igrejas. Não somente frios mas anãos, raquíticos, mundanos, carnais, indiferentes. Sem crescimento espiri­tual, Deus não nos pode revelar suas verdades profundas (Mc 4.33; Jo 16.12; Hb 5.12). É de admirar haver pessoas na igreja que acham tempo para ler, ouvir e ver tudo, me­nos a Palavra de Deus. Motivo: Comem tanto outras coisas que perdem o apetite pelas coisas de Deus! É justo ler boas coisas, mas, é imprescindível tomar mais tempo com as Escrituras. É também de estarrecer o fato de que muitos líderes de igrejas não levam seus liderados a lerem a Bíblia. Não basta assistir aos cultos, ouvir sermões e teste­munhos, assistir a estudos bíblicos, ler boas obras de lite­ratura cristã: é preciso a leitura bíblica individual, pes­soal. Há crentes que só comem espiritualmente quando lhes dão comida na boca: é a colher do pastor, do professor da Escola Dominical, etc. Se ninguém lhes der comida eles morrerão de inanição.

          c.  Ler a Bíblia com a melhor atitude mental e espiri­tual. Isto é de capital importância para o êxito no estudo bíblico. A atitude correta é a seguinte: a) Estudar a Bíblia como a Palavra de Deus, e não como uma obra literária qualquer, b) Estudar a Bíblia com o coração, em atitude devocional, e não apenas com o intelecto. As riquezas da Bíblia são para os humildes que temem ao Senhor (Tg 1.21). Quanto maior for a nossa comunhão com Deus, mais humildes seremos. Os galhos mais carregados de frutos são os que mais abaixam! É preciso ler a Bíblia crendo, sem duvidar, em tudo que ela ensina, inclusive no campo sobrenatural. A dúvida ou descrença, cega o leitor (Lc 24.25).

          d.  Leia a Bíblia com oração, devagar, meditando. As­sim fizeram os servos de Deus no passado: Davi (SI 119.12,18); Daniel (Dn 9.21-23). O caminho ainda é o mes­mo. Na presença do Senhor em oração, as coisas incom­preensíveis são esclarecidas (SI 73.16,17). A meditação na Palavra aprofunda a sua compreensão. Muitos lêem a Bíblia somente para estabelecerem recordes de leitura. Ao ler a Bíblia, aplique-a primeiro a si próprio, irmão, senão não haverá virtude nenhuma.


          e.  Leia a Bíblia toda. Há uma riqueza insondável nisso! É a única maneira de conhecermos a verdade completa dos assuntos nela contidos, visto que a revelação de Deus que nela temos é progressiva. - Como o leitor pensa compreen­der um livro que ainda não leu do princípio ao fim? Mesmo lendo a Bíblia toda, não a entendemos completamente. Ela, sendo a Palavra de Deus, é infinita. Nem mesmo a mente de um gênio poderia interpretá-la sem erros. Não há no mundo ninguém que esgote a Bíblia. Todos somos sem­pre alunos (Dt 29.29; Rm 11.33,34; 1 Co 13.12). Portanto, na Bíblia há dificuldades, mas o problema é do lado huma­no. O Espírito Santo, que conhece as profundezas de Deus, pode ir revelando o conhecimento da verdade, à medida que buscamos a face de Deus e andamos mais perto dele. Amém.



FONTE: ANTONIO GILBERTO - A BÍBLIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS (CPAD)


CURSO CAPELANIA CRISTÃ - RIO DAS OSTRAS-RJ - 13/05/2017 - MAIO/2017


CURSO CAPELANIA CRISTÃ - RIO DAS OSTRAS-RJ - 13/05/2017
29ª TURMA DE CAPELANIA



LOCAL: IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS MADUREIRA
Pastor Dirigente Marcelo Gomes Ferreira
ESTRADA VELHA RIO DOURADO, Nº308 
CIDADE PRAIANA - RIO DAS OSTRAS-RJ.



DATA: 13 DE MAIO DE 2017 - SÁBADO
HORÁRIO: DAS 14 HORAS ÀS 22 HORAS
INVESTIMENTO: R$ 65,00
OBS. LEVAR UMA FOTO 3X4 / CÓPIA DO RG E CPF / SERÁ PREENCHIDA UMA FICHA DE MATRICULA NO DIA.



APOSTILA ENCADERNADA
DIPLOMA DE CAPELÃO
ATA NOMEAÇÃO CAPELÃO
CREDENCIAL DE CAPELÃO



DIDÁTICA:
- CAPELANIA HOSPITALAR
- CAPELANIA PRISIONAL (CARCERÁRIA)
- CAPELANIA MILITAR
- CAPELANIA ESCOLAR
- DEPENDENCIA QUIMICA


MINISTRANTE: Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.
CONTATO: (22) 99746-0635 
CONTATO: (22) 99862-4326 MISSIONÁRIA JUCELIA FERREIRA


Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

O QUE SIGNIFICA ADORAR? - RUSSEL P. SHEDD


Adorar e cultuar, juntamente com palavras como fé e amor, pertencentes aos mais profundos níveis da verdade cristã, não se enquadram facilmente dentro de definições nítidas. Mais susceptível à descrição e experiência do que às limitações de uma definição verbal, qualquer tentativa de definir adoração será falha. Assim fala um sábio desejoso de expressar com palavras o que seria realmente a adoração:

"O transbordar de um coração grato, impulsionado pelo sentimento do favor divino".

No contexto em que Jesus instrui a mulher de Samaria, acerca da verdadeira adoração, Ele declara que a água que Ele daria ao sedento, "seria nele uma fonte a jorrar para a vida eterna" (Jo 4.14). A fonte se abre no novo nascimento (Jo 3.5), jorra em adoração (4.14) e flui em rios de água viva em serviço obediente (7.37,39).  O salmista aproximou-se do cerne da adoração genuína quando disse: 'Tu és o meu Senhor, outro bem não possuo, senão a ti somente" (16.2). Adoração, tal como a palavra inglesa, "worship" (worthship, "valor reconhecido") exprime a riqueza que Deus representa para o adorador.

Quem se assenta num banco da igreja aparenta ser adorador, mas, muitas vezes não o é. Quantas refeições suculentas têm sido planejadas na hora solene do culto, ao contrário do que ocorreu com Maria, sentada "aos pés de Cristo" (Lc 10.39). Quantos negócios têm sido planejados, rascunhados e contratos fechados nas mentes daqueles que lotam os bancos da casa de Deus! Contudo, um ato de adoração reconhece a preciosidade de um encontro vital com Deus e tem para quem busca ao Senhor a vantagem incomparável de conquistar a pérola de grande valor (Mt 13.45). Fundamentalmente, adoração pode ser definida como "a resposta de celebração a tudo que Deus tem feito, está fazendo e promete fazer".

Para o verdadeiro adorador, a pessoa de Deus é tão preciosa quanto um copo de água fresca, puríssima, num dia de calor. "O Senhor é a porção da minha herança e do meu cálice" (Sl 16.5). Adorar implica em peneirar nossos valores. Comunhão com Deus é ou não nosso alvo? Ele, ou nossos interesses, oferecem a maior atração? Cultuar, portanto, é pôr em ordem bíblica as nossas prioridades. Procuramos conhecer a Deus, e vamos conhecendo-O cada vez melhor, de modo a exaltá-lO: "Louvarei ao Senhor em todo o tempo; o seu louvor estará sempre nos meus lábios. Gloriar-se-á no Senhor a minha alma Engrandecei ao Senhor comigo e todos à uma lhe exaltemos o nome" (Sl 34.1-3).


FONTE: Adoração Bíblica - Dr. Russel P. Shedd


A SIGNIFICÂNCIA DA FORMA CONTEXTUALIZADA DE ADORAÇÃO - RUSSEL P. SHEDD


A forma do culto deve ser o veículo mais adequado para conduzir o adorador a um encontro real com Deus. Admite-se que, segundo a cultura e natureza das pessoas, o discernimento individual subjetivo e algumas expressões recomendáveis para uma igreja ou indivíduo serão prejudiciais a outros. Não se trata de modos certos ou errados em si mesmos, mas que todos busquem descobrir como agradar ao Pai Eterno e ainda ouvir a Sua voz com espírito atencioso.

Tanto igrejas locais como denominações inteiras variam muito nas suas maneiras de oferecer culto a Deus. Algumas aprimoram-se na solenidade. O silêncio parece ser essencial na adoração. A maneira de vestir, a decoração do templo, a música tocada ou cantada e a linguagem da mensagem, tudo comunica uma verdade: Deus é sério, distante e majestoso. "Deus está no seu santo templo. Cale-se diante dele toda a terra", é o texto que prevalece.

Outros grupos eclesiásticos não impõem reverência, nem exigem silêncio. Deus não suscita temor neles, nem parece desejar que se mantenha distância. Bebês choram, crianças se levantam para esticar os braços e correr; os jovens conversam, a música tem ritmo acelerado, assemelhando-se à música profana. Também, batem palmas, falam em voz alta e o auditório reage a qualquer afirmação com um forte "amém" ou "aleluia". Num culto na Guatemala realizado há 28 anos atrás, num povoado de índios Chuj, lembro a reação de um membro da congregação ao descobrir que um porco aproximava-se do púlpito. Aquele irmão levantou-se sem qualquer cerimônia, deu um ponta-pé na barriga do animal, que imediatamente soltou gritos característicos, enquanto abandonou depressa o local. O culto continuou normalmente sem qualquer outro escândalo.

Entre estes dois "estilos" de cultuar a Deus, que refletem mais a cultura do que a sinceridade, haveria um certo e outro errado? Creio que não. Uma maneira solene de adorar pinta um quadro de Deus baseado no contexto de reis e cortes, onde os súditos aproximam-se do "chefão" com temor e terror. Contudo, isto não passa de hipocrisia, se os adoradores não conhecem a Deus e não têm uma idéia realista da Sua santidade, amor e poder.

Também, um culto que atrai pelo espírito descontraído, quase leviano, representa sutilmente uma cena de piquenique e brincadeiras. Divertimento não deve ser confundido com adoração, a não ser que Deus seja o personagem central, dominante e transformador. A maneira de adorar deve coadunar-se ao máximo com a verdade revelada sobre a pessoa de Deus. Há, no entanto, fortes tendências de comunicar a realidade de sua paternidade, eliminando, porém, a verdade importantíssima de Sua realeza. Igrejas que deixam de reconhecer que Deus é juiz enquanto os homens são réus,  sofrerão prejuízo eterno (Tg 4.12). Nas próximas páginas convidamos o prezado leitor a pensar sobre a realidade da adoração. O ideal será juntar perfeitamente a forma com a devida expressão interna do coração. Com este intuito, queremos dirigir nosso pensamento em direção às Escrituras. A Velha Aliança, apresentada ao Povo Eleito pela mediação de Moisés, frisou o temor de Deus (cf. Hb 12,18-21). A Nova Aliança não anula o princípio de reverência (cf.2 Co 7.1; 1 Pe 1.17). Aliás, o livro de Hebreus coloca em relevo o perigo de negligenciar a salvação oferecida por Jesus Cristo, que implica em julgamento ainda mais estarrecedor (2.2,3). Mesmo assim, creio que a ênfase maior recai sobre o amor (2 Co 5.14).



FONTE: Adoração Bíblica - Dr. Russel P. Shedd


EXPRESSÕES DE ADORAÇÃO - RUSSEL P. SHEDD


Definir um termo como "cultuar" ou "adorar" não deixa de ser um desafio a todos que se preocupam com uma verdadeira adoração. Por um lado, num sentido mais restrito, significa uma atribuição de honra e glória a quem ou ao que o adorador considera de valor supremo. Seria veneração ou devoção expressa a Deus em público ou pessoalmente.  Por outro lado, pensa-se, popularmente, que adoração requer uma expressão visível, a prática de ritos religiosos que identificam a sua forma Vejamos algumas formas variadas.

1. O culto carismático caracteriza-se por manifestações emocionais, sonoras, visíveis, mostrando a atitude dos adoradores em relação a Deus. A forma do culto se distingue pelo levantamento dos braços, exuberantes gritos de "aleluia", movimentos corporais e "cânticos espirituais", manifestando entusiasmo na maneira de glorificar a Deus. A comunicação cognitiva tem menos importância em comparação com a livre participação daqueles que cultuam.

2. O culto didático e pedagógico concentra a atenção dos participantes na centralidade da Palavra de Deus. Pela pregação, ensino e exortação, espera-se que os assistentes ouçam a voz de Deus pelo recado recebido e sejam convencidos de que devem oferecer a Deus, como Senhor, tudo que Ele exige e merece. As igrejas batistas e presbiterianas exemplificam principalmente a adoração didática

3. O culto eucarístico valoriza o culto por meio da Ceia do Senhor. A Eucaristia representa o cerne da aproximação entre Deus e o cultuante. Por meio da participação nesse "sacramento" memorial, a mística do material unido ao espiritual toma a sua forma concreta para quem celebra a dramatização da morte sacrificial de Jesus Cristo. Espera-se a criação dum espírito de gratidão e devoção nos participantes. As igrejas luteranas, anglicanas, e católicas apresentam um só quadro na importância que atribuem ao culto eucarístico.

4. O culto kerugmático (vem do vocábulo grego kerugma, que significa "proclamação") focaliza a atenção sobre a evangelização dos não-convertidos. As diversas partes do culto são escolhidas e preparadas para levar os espiritualmente perdidos a se entregarem a Jesus Cristo. Cultos evangelísticos são valorizados pelos evangélicos que concebem como a principal responsabilidade da igreja cumprir a missão que Jesus deu aos Seus discípulos (Mt 28.19), uma missão que deve ser levada a efeito dentro e fora do recinto de culto.

5. Outros cristãos modernos concentram a sua comunhão uns com os outros. Torna-se popular a descrição deste culto como "corpo vivo" (body-life), porque procura-se a partipação mútua de todos. A. Neely, professor de missões no Seminário de Wake Forest, E.U.A., sugere o termo koinoniático (do grego koinonia, "comunhão", "participação") para indicar essa qualidade central no culto. Como o corpo humano necessita dar e receber a contribuição de suas diversas partes constituintes, assim muitas igrejas estão recuperando a ênfase primitiva apresentada no Novo Testamento sobre a mutualidade.

6. O culto diakonal. Segundo este conceito, Deus é visto somente no irmão necessitado, sem nos preocuparmos se ele é realmente membro da família do Senhor. Baseia-se nas palavras de Jesus: "... vinde, benditos do meu Pai!... Porque tive fome e me destes de comer... Então perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes." {Mt 25.24-40). Assim, boas obras, caridade, atos de compaixão em favor dos que sofrem e dos oprimidos, passam a ser expressão de culto ao Senhor. Outros, que seguem uma linha mais radical, como os adeptos da Teologia da Libertação", vão mais longe. Apóiam movimentos anti-imperialistas e identificam as estruturas direitistas como inimigas. Cultuar, para eles, pode até envolver a luta política contra a injustiça de uma sociedade denominada "reacionária" e "decadente".

Todos estes modelos característicos de culto, formados por séculos de tradição, ou então por modernas reações contra um formalismo herdado do passado ou importado de terras alheias, têm um fator comum. Expressões de adoração como as aqui mencionadas caracterizam as formas de cultuar, e não medem a realidade ou grau de espiritualidade do adorador. Qualquer que seja a expressão do culto ou rito como veículo de adoração, a sua forma é externa, mas a atitude do coração é interna, muitas vezes oculta da própria percepção do adorador.

Deus preocupa-se mais com o coração do que com a forma, ainda que as Escrituras não admitam uma dicotomia entre corpo e espírito. É o próprio Deus quem toma a iniciativa   na busca de verdadeiros adoradores. Ele deu Seu Filho para revelá-lO (Jo 1.18), para sacrificar-se em oferta expiatória, assim rasgando o véu que separava o Lugar Santo do Santo dos Santos (Mt 27.51; Mc 15.38 e Lc 23.45). Jesus deixou o caminho livre para os pecadores se aproximarem do Pai santíssimo (Jo 14.6). Deus cumpriu a promessa proclamada pelos profetas, de derramar Seu Espírito sobre Seus filhos (Ez 36.27). Somente por meio do Espírito é possível oferecer culto verdadeiro a Deus (Jo 4.24; Fp 3.3). Este fator central da adoração é invisível. A forma correta de adorar não garante que estejamos adorando "pelo Espírito" (o termo pneumati [Fp 3.3], em grego, está no dativo instrumental, "por meio do Espírito"). Assim, Deus tem de revelar-se no Filho, perdoar os pecados que nos separam dEle e dar-nos o Espírito para que pela Sua assistência possamos responder-Lhe.  Deus se aproxima de nós no Filho, e nós nos aproximamos dEle no Espírito. Nenhuma dessas realidades pode ser demonstrada por uma expressão externa de culto. Atos religiosos, tais como falar "as línguas dos homens e dos anjos", ou "distribuir todos os bens entre os pobres", ou ainda entregar "o próprio corpo para ser queimado" (1 Co 13.1-3), não expressam necessariamente um amor real. O mesmo acontece com a adoração; os atos externos mais notáveis podem facilmente enganar.

Desde seu começo, o culto cristão tem sido ameaçado por dois perigos: 1) Um formalismo que sacramenta o modo de adorar a Deus, enquanto anula o poder de um contato vital com Deus (cf.2 Tm 3.5) e 2) Uma espontaneidade que encoraja desprendimento e liberdade, desprezando toda e qualquer forma, mas que cria confusão e desordem. Ambas as formas de culto são condenadas pela falta de amor. O formalismo busca o amor pelo Pai celeste enquanto o informalismo desordeiro desvaloriza os filhos da Sua "família". A igreja de Éfeso, possivelmente, ilustra o primeiro perigo, tendo abandonado seu primeiro amor (Ap 2.2-5). Preocupava-se com a forma e em manter boas aparências, mas esquecia-se do principal - o amor. Pode-se verificar o segundo perigo na vida espiritual da igreja de Corinto. A liberdade teve ascendência, reinando com supremacia, enquanto a verdadeira adoração sofreu um eclipse por causa das divisões. A desordem caracterizou a Ceia do Senhor. Nas reuniões da igreja, um irmão qualquer tomava a palavra sem se dar conta de que outros profetas também tinham mensagens para comunicar (1 Co 14.29-30).


FONTE: Adoração Bíblica - Dr. Russel P. Shedd


terça-feira, 18 de abril de 2017

BALEIA AZUL - O QUE É?









Para que os pais tenham conhecimento dos sinais que indicam que seu filho ou filha está participando do jogo "Baleia Azul", resolvi copiar este artigo cuja fonte encontra-se ao final.


Vosso amigo, 




Pastor Charles Maciel Vieira, D.Th.

___________________________________



A depressão é um problema que afeta o mundo todo. Passível de ocorrer em qualquer fase da vida, os jovens costumam ser grande parte das vítimas dessa doença. Considerando que este é um problema de saúde pública, embora nem sempre seja tratado como tal, por vezes resulta em atitudes extremas.



No Brasil, por exemplo, um estudo realizado em 2014 apontou que somos o oitavo país em números de suicídio no mundo. Embora este já seja um grande problema a ser enfrentado, pessoas em todo mundo agora estão cautelosas, especialmente com jovens e adolescentes, devido ao surgimento do jogo chamado “Baleia Azul”.




Se você navegou pelas redes sociais nessa última semana, certamente ouviu falar que ele vem aterrorizando pessoas em todo o mundo, uma vez que resultou na morte de mais de 130 jovens e adolescentes, incluindo uma brasileira no Mato Grosso, que teria se jogado dento de uma represa.




Composto por mais de 50 desafios, o jogo consiste na resolução deles, que depois devem ser atestados por “curadores” dentro de grupos secretos nas redes sociais. O fato é que partes desses desafios podem causar severos danos físicos e mentais.










Estes desafios podem incluir coisas simples, como assistir a filmes de terror durante a madrugada ou atos mais intensos, que envolvem mutilação. Já o desafio final, como você já deve ter percebido, consiste no suicídio.




Dito isso, tendo em mente que o intuito da matéria é apenas ajudar a divulgar o problema para que os sinais sejam identificados pelos pais e responsáveis, abaixo colocamos os 50 desafios. Eles foram traduzidos e divulgados por usuários do Twitter, e você irá notar que algumas tarefas são secretas ou não foram decifradas porque estão em códigos.








______________________________________________________









segunda-feira, 17 de abril de 2017

CURSO CAPELANIA CRISTÃ - RIO DAS OSTRAS-RJ - 13/05/2017 - SÁBADO



CURSO CAPELANIA CRISTÃ - RIO DAS OSTRAS-RJ - 13/05/2017
29ª TURMA DE CAPELANIA




LOCAL: IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS MADUREIRA
Pastor Dirigente Marcelo Gomes Ferreira
ESTRADA VELHA RIO DOURADO, Nº308 
CIDADE PRAIANA - RIO DAS OSTRAS-RJ




DATA: 13 DE MAIO DE 2017 - SÁBADO
HORÁRIO: DAS 14 HORAS ÀS 22 HORAS
INVESTIMENTO: R$ 65,00
OBS. LEVAR UMA FOTO 3X4 / CÓPIA DO RG E CPF / SERÁ PREENCHIDA UMA FICHA DE MATRICULA NO DIA.



APOSTILA ENCADERNADA
DIPLOMA DE CAPELÃO
ATA NOMEAÇÃO CAPELÃO
CREDENCIAL DE CAPELÃO



DIDÁTICA:
- CAPELANIA HOSPITALAR
- CAPELANIA PRISIONAL (CARCERÁRIA)
- CAPELANIA MILITAR
- CAPELANIA ESCOLAR
- DEPENDENCIA QUIMICA



MINISTRANTE: Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.
CONTATO: (22) 99746-0635 
CONTATO: (22) 99862-4326 MISSIONÁRIA JUCELIA FERREIRA


Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Pastor Paul Washer tem melhora clínica e deve receber alta hospitalar em breve


Por Tiago Chagas

O ataque cardíaco sofrido pelo pastor e escritor Paul Washer no começo desta semana representou um sério risco, já que foi necessária uma cirurgia para desobstrução de uma artéria. Mas agora, ele se recupera bem e deverá ser liberado em breve.

Paul Washer, renomado pregador internacional, sofreu um infarto na última segunda-feira, 20 de março, e foi socorrido às pressas a um hospital. Os médicos responsáveis pelo atendimento consideravam grave seu estado de saúde, e enxergavam risco de morte.

Kevin Hite, um diretor do ministério fundado e liderado por Paul Washer, HeartCry Missionary, informou, no entanto, que o pastor poderá receber alta já neste final de semana: “Eu suspeito que ele vá sair nos próximos dias. Eu estive com ele há alguns minutos”, disse, em entrevista ao portal The Christian Post.

“Nenhum médico esperava, com base em sua saúde, que ele sofresse um ataque cardíaco”, acrescentou Kevin Hite.

Na manhã da última quarta-feira, 22 de março, a página do ministério no Facebook acalmou os internautas que acompanham as atividades através da rede social e que vinham manifestando solidariedade ao pastor e reiterando o estado de oração.

“Estamos muito felizes em relatar que Paul está muito melhor hoje! Ele ainda está um pouco cansado devido à provação que passou, mas está melhorando”, dizia o texto.

Há aproximadamente dois meses, Paul Washer relatou um problema de saúde durante sua participação na Conferência G3 2017, realizada em janeiro na cidade de Atlanta, Geórgia (EUA). No entanto, o pastor não especificou o que tinha sentido.

“Antes de tudo, gostaria de dizer que é um tremendo privilégio estar aqui e louvo a Deus por isso. Eu preguei na Costa Oeste na semana passada e quando eu estava voltando para casa, comecei a ficar muito doente”, contou o pastor.

“Hoje foi o primeiro dia em que eu saí de casa depois de quatro dias, eu deveria estar aqui ontem, mas eu tive que cancelar meu voo e eu acordei esta manhã e por volta das 02h00 da manhã. Pensei comigo mesmo: ‘Bem, logo que amanhecer, vou chamar o pastor White e dizer-lhe que não há como eu participar”, acrescentou.

Porém, quando acordou, sentiu que Deus havia intervido na situação, dando a ele condições de ir ao evento e pregar.

Esse episódio foi comentado por Kevin Hite na entrevista ao Christian Post: “Eu não sei o que teria causado especificamente… ele teve um ataque cardíaco. Havia algum bloqueio em uma artéria do coração. Pode ou não ter alguma relação, mas não há como dizer que aquilo era indicativo ou de alguma forma um precursor [para um ataque cardíaco]”.

“Ele tem uma série de problemas, dores particularmente crônicas e isso não é segredo para ninguém. Mas ele teve algumas questões totalmente independentes depois disso. O ataque cardíaco foi uma surpresa completa”, finalizou o diretor.


domingo, 26 de março de 2017

CANTORA CRISTÃ COM CÂNCER TERMINAL SE DESPEDE DA VIDA LOUVANDO - ISTO É VIDA COM FÉ EM DEUS



A cantora Bola Taylor que sofre de um câncer incurável, fez sua apresentação de despedida, agradecendo a Deus por tudo o que viveu.

Sabendo que lhe restavam poucos dias de vida e que não havia nenhum tratamento a ser feito e qualquer esperança de cura, a cantora Bola Taylor realizou sua última apresentação louvando a Deus apesar de seu delicado estado de saúde, publicou Huffington Post.

“Sinto uma paz inexplicável que somente Deus pode dar, e Ele deu com abundância. Ele me tem guardado e me permitiu entrar na ‘fase aceitação’ sem sofrimento”, escreveu Taylor em seus facebook. “Eu disse aos médicos que há uma opção para minha cura, se chama ‘milagre’. Se o Senhor decidir me curar, eu não tenho dúvida que Ele pode fazê-lo”.

“Sei pra onde vou. Certifique-se que você também vá”, escreveu na rede social.

Taylor serviu com seu esposo como missionários no Japão durante 20 anos e fundaram o Ministério Halleluijah Gospel Family com objetivo evangelístico.

“Minha oração sempre foi: que eu viva de acordo com os planos de Deus. Oro para que seja assim até que eu morra, e com isso, mostrarei às pessoas a confiança que elas podem ter em Jesus Cristo como seu Redentor. Ele preparou um lugar para mim e agora estou me preparando para esta viagem de primeira classe, rumo a glória. Estou emocionada!”, acrescentou.

A cantora lutou contra o câncer até o ano de 2015, e Deus a tomou para si.


Notícia copiada do site pulpitocristao.com



segunda-feira, 20 de março de 2017

CURSO CAPELANIA CRISTÃ - RIO DAS OSTRAS-RJ - 15/04/2017 - ABRIL 2017


CURSO CAPELANIA CRISTÃ - RIO DAS OSTRAS-RJ - 15/04/2017
28ª TURMA DE CAPELANIA


LOCAL: IGREJA EVANG. PROJETO DE DEUS
RUA CHUVA DE PRATA, Nº49 
BAIRRO ANCORA - RIO DAS OSTRAS-RJ


DATA: 15 DE ABRIL DE 2017 - SÁBADO
HORÁRIO: DAS 14 HORAS ÀS 22 HORAS
INVESTIMENTO: R$ 65,00
OBS. LEVAR UMA FOTO 3X4 / CÓPIA DO RG E CPF / SERÁ PREENCHIDA UMA FICHA DE MATRICULA NO DIA.


APOSTILA ENCADERNADA
DIPLOMA DE CAPELÃO
ATA NOMEAÇÃO CAPELÃO
CREDENCIAL DE CAPELÃO


DIDÁTICA:
- CAPELANIA HOSPITALAR
- CAPELANIA PRISIONAL (CARCERÁRIA)
- CAPELANIA MILITAR
- CAPELANIA ESCOLAR
- DEPENDENCIA QUIMICA


MINISTRANTE: Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.
CONTATO: (22) 99746-0635 
CONTATO: (22) 99752-1680 MISSIONÁRIA LUCIANE


Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.

sexta-feira, 3 de março de 2017

CURSO CAPELANIA CRISTÃ - MACAÉ-RJ - 18/03/2017 - MINISTÉRIO GILEADE MACAÉ


CURSO CAPELANIA CRISTÃ - MACAÉ-RJ - 18/03/2017
27ª TURMA DE CAPELANIA


LOCAL: MINISTÉRIO GILEADE MACAÉ
AV. EVALDO COSTA, Nº1.100 
BAIRRO RIVIERA FLUMINENSE - MACAÉ-RJ
(OBS. ANTIGA AVENIDA AYRTON SENNA)


DATA: 18 DE MARÇO DE 2017 - SÁBADO
HORÁRIO: DAS 14 HORAS ÀS 22 HORAS
INVESTIMENTO: R$ 65,00
OBS. LEVAR UMA FOTO 3X4 / CÓPIA DO RG E CPF / SERÁ PREENCHIDA UMA FICHA DE MATRICULA NO DIA.


APOSTILA ENCADERNADA
DIPLOMA DE CAPELÃO
ATA NOMEAÇÃO CAPELÃO
CREDENCIAL DE CAPELÃO


DIDÁTICA:
- CAPELANIA HOSPITALAR
- CAPELANIA PRISIONAL (CARCERÁRIA)
- CAPELANIA MILITAR
- CAPELANIA ESCOLAR
- DEPENDENCIA QUIMICA


MINISTRANTE: Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.
CONTATO: (22) 99746-0635
CONTATO: (22) 99719-0888 CAPELÃO LUCIO ANDRÉ


Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.


domingo, 19 de fevereiro de 2017

CURSO CAPELANIA MACAÉ - 18/03/2017 - MARÇO/2017



CURSO CAPELANIA CRISTÃ - MACAÉ-RJ - 18/03/2017
27ª TURMA DE CAPELANIA



LOCAL: MINISTÉRIO GILEADE MACAÉ
AV. EVALDO COSTA, Nº1.100 
BAIRRO RIVIERA FLUMINENSE - MACAÉ-RJ
(OBS. ANTIGA AVENIDA AYRTON SENNA)



DATA: 18 DE MARÇO DE 2017 - SÁBADO
HORÁRIO: DAS 14 HORAS ÀS 22 HORAS
INVESTIMENTO: R$ 65,00
OBS. LEVAR UMA FOTO 3X4 / CÓPIA DO RG E CPF / SERÁ PREENCHIDA UMA FICHA DE MATRICULA NO DIA.



APOSTILA ENCADERNADA
DIPLOMA DE CAPELÃO
ATA NOMEAÇÃO CAPELÃO
CREDENCIAL DE CAPELÃO



DIDÁTICA:
- CAPELANIA HOSPITALAR
- CAPELANIA PRISIONAL (CARCERÁRIA)
- CAPELANIA MILITAR
- CAPELANIA ESCOLAR
- DEPENDENCIA QUIMICA



MINISTRANTE: Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.
CONTATO: (22) 99746-0635
CONTATO: (22) 99719-0888 CAPELÃO LUCIO ANDRÉ




Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

NOTÍCIA: MANUSCRITOS DE QUMRAN - ISRAEL DESCOBRE A 12ª CAVERNA


A Universidade Hebraica anunciou quinta-feira a descoberta de uma nova caverna que abrigava a Manuscritos do Mar Morto, um dos "mais importantes descobertas" sobre estes escritos famosos desde a sua descoberta há sessenta anos. 

Estes textos, que datam do século 3 aC ao século 1 dC, são um conjunto de quase mil pergaminhos principalmente em hebraico, e também em aramaico e grego, entre os quais muitos livros do Antigo Testamento. Eles são os mais antigos manuscritos conhecidos da Bíblia hebraica. 

Até agora, os arqueólogos estabelecido que os manuscritos encontrados por um pastor beduíno no noroeste do Mar Morto entre 1947 e 1956, perto do sítio arqueológico de Qumran, tinha sido armazenado em 11 cavernas. 

"Esta descoberta de uma caverna 12 pode revolucionar a informação que temos sobre os manuscritos do Mar Morto", disse à AFP Oren Gutfeld, arqueólogo do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém, responsável pelas escavações. 

Localizado a oeste de Qumran na ocupada Cisjordânia, a caverna não contém manuscritos, mas ampla evidência de sua presença antes foram encontrados, incluindo fragmentos de cerâmica em que foram colocados e tiras de couro em torno deles, tem disse o arqueólogo. 

As cavernas que continham manuscritos foram em grande parte saqueados nos anos de 1950. Marcas de escavações deste período, foram encontradas na caverna, afirmando que ela tinha tido o mesmo destino, de acordo com um comunicado da Universidade Hebraica. 

"Esperamos encontrar outras cavernas que contenham manuscritos, como parte da operação lançada pela Autoridade de Antiguidades," que realiza escavações nas cavernas do deserto da Judéia, onde o Mar Morto está localizado, disse Mr. Gutfeld. 

Muitos especialistas acreditam que os manuscritos do Mar Morto foram escritos pelos essênios, uma seita judaica dissidente, que havia se retirado para o deserto. Outros pensam que eles podem vir de bibliotecas do Templo Judaico, em Jerusalém e bibliotecas privadas devem ser armazenados em cavernas na abordagem dos romanos que destruiu o Templo em 70 dC 

A a maior parte dos 900 manuscritos descobertos em Qumran são mantidos no Santuário do Livro, no Museu de Israel em Jerusalém.


(OBS. TEXTO TRADUZIDO DO FRANCES)


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

OS PRIMOS E OS IRMÃOS

 
  Convivendo em família, primos e irmãos são estruturas de nossa infância, e não existe nada tão marcante quanto essa convivência e suas travessuras infantis. Quando se cresce, acaba cada um indo para um lado, porque a vida segue e a geografia da vida não junta todos no mesmo quintal. Primos e irmãos são relevantes e no intimo são todos irmãos.
  Mudando de assunto, existe algo que dói e constrange muito, e em pleno século 21, dentro daquilo que deveria ser um entranhamento harmonioso, termos ainda, dentro do mundo chamado evangélico, "primos e irmãos". Talvez alguém não conheça a história, mas em tempos antigos, e talvez não tão antigo, algumas denominações protestantes (interprete isso), consideravam pessoas de outras denominações não como "irmãos" em Cristo, mas como "primos" em não sei o que. O pastor batista Ed Rene Kivitz, em uma de suas ministrações, disse que "Deus tem cada filho" em nosso ambiente evangélico que a gente chega a tomar um tipo de "susto" psicológico.
  Eu não tenho "primos", eu tenho IRMÃOS, filhos gerados pelo mesmo PAI, por nosso Deus. Meus irmãos de qualquer denominação evangélica são irmãos. Será que até isso tinha de ser explanado em pleno século 21? Temos mentes abitoladas? 
  Eu sei que existem diferenças de doutrinas secundárias e terciárias, mas a doutrina de base, a primária, é uma só. Eu sei que existem diferenças de costumes e liturgias, mas não vejo, não consigo ver ou entender a priorização de uma denominação como se fosse "tão altamente perfeita" acima de outras. Arrazoemos, vamos nos assentar e ver o grau de assimilação doutrinária. Vamos verificar essa tão grande "diferença". 
  Vou contar um segredo, não espalha, eu descobri que quando patriarcas e matriarcas partem, não estão mais aqui, tudo desanda, e normalmente a família "põe pra quebrar", onde tudo muda, onde o que não podia fazer, acaba sendo feito, e isso eu estou falando de coisas internas da IGREJA instituição. Ou a mentalidade se abre numa visão integral, ou algo da "carne" é exposto, tipo "jogaram no ventilador", "chutaram o balde", derrubaram o "pau da barraca", ou mudaram para melhor? Ou o que era considerado pecado não é mais pecado? Deus mudou? Deus estava equivocado? NÃO, Deus não mudou, pois o que estava sendo regido, obrigado, imposto, eram coisas dos homens. Homens querendo dominar e manipular homens, e quanta gente pensou que era Deus. Chega de falar sobre "besteirois"humanos. Seja metodista, batista, presbiteriano, assembleiano, congregacional, iurd, bola de neve, ou qualquer outra cuja doutrina de base, doutrina primária seja a mesma, EU NÃO TENHO PRIMOS, EU TENHO IRMÃOS!!!


Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.   

domingo, 5 de fevereiro de 2017

O QUE ME VICIA - Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.

  
  O vício denota algo que é pedido pelo corpo, pelos nervos, como uma química que o corpo está acostumado, uma química entranhada, e o corpo sempre pede mais, nunca estando satisfeito. O que manda e comanda o corpo é a "alma", que também, por agora, podemos chamar de "cérebro", que caso falte a química, inutilizará todo corpo através de uma sintomatologia. A inutilização corporal faz-se de estágio em estágio, o que pode desmoronar como um "inferno" pessoal. Primeiro, o raciocínio começa a falhar, afinal, a "birra" do cérebro é porquê o mesmo não recebeu sua química, existe ausência, então o pensamento falha, e as coisas organizadas começam a perder o equilíbrio, uma sudorese, com temores e tremores na visão, pois a abstinência provocará vários delírios da alma. A pessoa começa a enxergar o que o cérebro quer mostrar, sendo uma luta injusta, onde a imaginação é resultado de todo um conjunto de fatores, tendo o sistema nervoso como base que afeta o corpo, e afeta a alma. Um desequilíbrio de humor, uma tristeza sem motivo, uma cabeça que quer explodir, a qualquer momento.

  O salmista Davi, na Bíblia, retrata essa pertubação interna, em um momento angustiante: "Tem misericórdia de mim, Senhor, porque sou fraco; sara-me, Senhor, porque os meus ossos estão perturbados" (Salmos 6.2). A perturbação de Davi, mostra uma pressão de ordem psicossomática, onde os "ossos" são sentidos como um incomodo neural, onde Davi diz: "Até a minha alma está perturbada" (Salmos 6.3), "livra a minha alma", "estou cansado do meu gemido", ... apresentando um ambiente de pânico, com falta de um equilíbrio emocional, psicológico.

  Invertendo a polaridade, onde o "vício" denota algo "negativo", iremos encontrar um polo "positivo", onde o vício perdido, foi a estabilidade, o emprego, a confiança, e isso com o acompanhamento rescisório de uma decepção emocional, ministerial, familiar, onde o "mundo", seu mundo, desaba sem aviso, onde o "vício" era somente ser feliz, tentar ser feliz, querer ser feliz, coisa, no agora, impossível, quebrado, leite derramado. E Davi pergunta: "Senhor, até quando?" (Salmos 6.3), como a dizer "preciso de ajuda", "preciso de compreensão", "a igreja não me entende", "a família é omissa", e então algo de NOVO acontece. O NOVO é que Davi se esforça e ora a Deus, abre sua alma para toda atividade Divina, e Davi diz: "O Senhor já ouviu a minha súplica; o Senhor aceitará a minha oração" (Salmos 6.9). "...Num momento", tudo muda, aqui nesta existência, tudo entra em equilíbrio novamente, para melhor, na PRESENÇA DE DEUS!


Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

O QUE ME OPRIME


Quando usamos o verbo "oprimir", temos um consenso religioso de que algo de origem maléfica pode estar se desencadeando, ou surgindo. Dentre os significados, podemos apontar "carregar ou sobrecarregar com grande peso". O trabalho árduo nos oprime, faz cansar a mente, o corpo, trazendo um estresse, uma fadiga, uma vontade de haver um ponto final em todo esse processo. O apóstolo Paulo falou sobre, ponderando da seguinte maneira: "Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas" (2 Coríntios 11.28). Outra colocação para "oprimir", é estar "atribulado", onde Paulo diz: "Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados" (2 Coríntios 4.8). Se formos ver o contexto do que Paulo passava, sendo uma pessoa com vida sem mácula, teremos uma lista bem extensa: trabalhos, fadigas, vigílias forçadas, jejuns (jejum forçado), frio (sem agasalho adequado), nudez (falta de roupa), pedrada na cabeça (em nome da fé em Jesus), apanhou (igual um criminoso merecedor), e parando aqui, prisões (por causa de não negar o Evangelho de Jesus). Mas o que mais OPRIMIA nosso irmão Paulo, era a tal da "igreja", pois o que foi citado são chamados de "coisas exteriores". Paulo está aqui hoje, e não tem onde esconder seus olhos de tanta presepada "gospel". Vou citar o que me OPRIME, na igreja contemporânea:


01 - Falta do ensino da Palavra de Deus. Ensinam e falam qualquer besteira e asneira, e deixam a Palavra de Deus de lado. Existe tanto de Deus, da palavra de Deus para pregar, ensinar, tendo seminários para aprender e compreender a Palavra de Deus, mas não dão valor, não querem aprender, pois "já sabem tudo". Que vergonha, que oprimissão;


02 - Falta de ensino da Palavra de Deus (Parte 2). As almas que chegam agora, os novo crentes, aprendem uma variedade de modismos, ensinamentos sem base na Bíblia. Aprendem a "determinar", "profetizar", "visão", "revelação"(não é a revelação da Palavra), "triunfalismo humano", "músicas de afronta", "pregações de afronta", "palavras ou gritos de ordem", "contextos espirituais estranhos ao ensinamento bíblico", e uma mazela de costumes estranhos e desorientados: adivinhação através da Bíblia (Bibliomancia); apologia ao "monte"; apologia ao "vale"; apologia àquilo que é "tremendo"; ou seja, "morte na panela".


03 - Falta de discipulado. O discípulo é um aluno, que precisa aprender mais da Palavra, da vontade de Deus através da Palavra. Há pessoas que já são obreiros no nosso mundo evangélico, e não tem a consciência de que precisam aprender mais. Foram mal ensinados, ou aprenderam na "marra", na necessidade da "obra", fazendo conforme viam os outros fazerem, orando conforme viram pessoas orarem, e pasmem, tais pessoas não estão abertas a melhorarem, pois já pensam saber tudo. Parece coisa de "nasci católico e vou morrer católico". Agora imagine só os novos convertidos sendo ensinados por essas pessoas. A Bíblia passa a ser somente um paliativo. Não sabem discernir um texto narrativo de um texto doutrinário, e não querem aprender, pois "já sabem". Temos obreiros e obreiras que acham melhor jogar fora uma pessoa difícil do que cuidar dela. Tais obreiros não tem equilíbrio na Palavra de Deus. A falta de alicerçamento na Palavra de Deus não é substituída pela "espiritualidade" pessoal. Qualquer vento de doutrina, qualquer revelação nova, qualquer evangelho estranho, que não foi ensinado por Jesus, nem por Paulo, nem pelos escritores neo-testamentários, acabam sendo aceitos como vindo de "Deus". Não sabem falar, dentro da Palavra de Deus, sobre a salvação em Jesus.


Esses três tópicos, já OPRIMEM, já ATRIBULAM, e Paulo, inspirado por Deus, diz: "Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade?" (Gálatas 4.16). Não existe uma pretensão de apontar ou perseguir algum "ministério", mas de retratar algo que já oprimia Paulo, em sua época, e que me oprime. De repente, ironicamente falando, uma "oração forte" liberte a igreja dessa falta de base bíblica, ou de repente me liberte dessa "oprimissão", pois "me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas".


Pr. Charles Maciel Vieira, D.Th.