terça-feira, 29 de outubro de 2013

O FRUTO DO ESPÍRITO


“MAS O FRUTO DO ESPÍRITO é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra essas coisas não há lei” (Gl 5.22-23).

Em contraste com as obras da carne, temos o modo de viver íntegro e honesto que a Bíblia chama “o fruto do Espírito”. Esta maneira de viver se realiza no crente à medida que ele permite que o Espírito dirija e influencie sua vida de tal maneira que ele (o crente) subjugue o poder do pecado, especialmente as obras da carne, e ande em comunhão com Deus (2 Co 6.6; Ef 4.2,3; 5.9; Cl 3.2-15; 2 Pe 1.4-9). O fruto do Espírito inclui;
(1) “Amor” (gr. agape), i.e., o interesse a busca do bem de outra pessoa sem nada querer em troca (Rm 5.5; 1 Co 13; Ef 5.2; Cl 3.14).
(2) “Gozo” (gr. chara), i.e., a sensação de alegria baseada no amor, na graça, nas bênçãos, nas promessas e na presença de Deus, bênçãos estas que pertencem àqueles que creem em Cristo (Sl 119.16; 2 Co 6.10; 12.9; 1 Pe 1.8).
(3) “Paz” (gr. eirene), i.e., a quietude de coração e mente, baseada na convicção de que tudo vai bem entre o crente e seu Pai celestial (Rm 15.33; Fp 4.7; 1 Ts 5.23; Hb 13.20).
(4) “Longanimidade” (gr. makrothumia), i.e., perseverança, paciência, ser tardio para irar-se ou para o desespero (Ef 4.2; 2 Tm 3.10; Hb 12.1).
(5) “Benignidade” (gr. chrestotes), i.e., não querer magoar ninguém, nem lhe provocar dor (Ef 4.32; Cl 3.12; 1 Pe 2.3).
(6) “Bondade” (gr. agathosune), i.e., zelo pela verdade e pela retidão, e repulsa ao mal; pode ser expressa em atos de bondade (Lc 7.37-50) ou na repreensão e na correção do mal (Mt 21.12,13). 
(7) “Fé” (gr. pistis), i.e., lealdade constante e inabalável a alguém com quem estamos unidos por promessa, compromisso, fidedignidade e honestidade (Mt 23.23; Rm 3.3; 1 Tm 6.12; 2 Tm 2.2; 4.7; Tt 2.10).
(8) “Mansidão” (gr. prautes), i.e., moderação, associada à força e à coragem; descreve alguém que pode irar-se com equidade quando for necessário, e também humildemente submeter-se quando for preciso (2 Tm 2.25; 1 Pe 3.15; para a mansidão de Jesus, cf. Mt 11.29 com 23; Mc 3.5; a de Paulo, cf. 2 Co 10.1 com 10.4-6; Gl 1.9; a de Moisés, cf. Nm 12.3 com Êx 32.19,20).
(9) “Temperança” (gr. egkrateia), i.e., o controle ou domínio sobre nossos próprios desejos e paixões, inclusive a fidelidade aos votos conjugais; também a pureza (1 Co 7.9; Tt 1.8; 2.5).

O ensino final de Paulo sobre o fruto do Espírito é que não há qualquer restrição quanto ao modo de viver aqui indicado. O crente pode – e realmente deve – praticar essas virtudes continuamente. Nunca haverá uma lei que lhes impeça de viver segundo os princípios aqui descritos. 


Fonte: http://estudosbiblico.no.comunidades.net/

Telefone Úteis São Paulo-SP


Telefones úteis em São Paulo (DDD 11).

EMERGÊNCIA
Acidentes de trânsito - 156
Ambulância – 192
Auxílio à lista – 102
Bombeiros – 193
CET (Para emergências no trânsito - interferências na via, semáforos quebrados, rotas alternativas, veículos estacionados irregularmente) – 1188
Chamadas internacionais via telefonista – 0800 703 2100
Comando da Guarda Civil Metropolitana – 3396-5830
Correios – 0800 725 7282
Defesa Civil – 199
Delegacia de Defesa da Mulher – 6742-1701
Delegacia do Idoso - 3237-0666
Delegacia Regional do Trabalho – 3044-4075
Disque-denúncia – 0800 156 315 ou 181
Disque Denúncia da Secretaria Especial dos Direitos Humanos (para denúncia de
crimes de ódio, pedofilia, racismo e outros crimes que violam os direitos humanos) – 100
Disque saúde – 136
Hora certa – 130
Informações de trânsito – 156
Instituto Pró-Queimados – 0800 707 7575
Interurbano via telefonista – 0800 777 1515
Maus tratos a criança – 181
Maus tratos e cativeiro de animais - 6954-1788
Ouvidoria do município – 0800 175 717 / FAX: 3334-7132
Polícia Civil – 147
Polícia Militar – 190
Polícia Rodoviária Estadual – 3327-2727
Polícia Rodoviária Federal – 2795-2300 (6ºSRPRF/SP)
Prefeitura – 156
Previsão do tempo – 132
Procon – 151
PSIU (Programa de Silêncio Urbano) – 156 ou 3101-3737
Receita Federal – 146
Serviço de despertador automático – 134
Serviço de intermediação surdo/ouvinte – 142
Telegrama fonado – 0800 570 0100
Vigilância Sanitária – 3397-8278

TERMINAIS RODOVIÁRIOS
www.socicam.com.br

Barra Funda – 3689-9224
Rua Mário de Andrade, 664 - Santa Cecília

Jabaquara – 3866-1100
Rua Jequitibás, s/nº - Jabaquara

Tietê – 3866-1100
Avenida Cruzeiro do Sul, 1800 - Santana
No Terminal Tietê, está instalada uma das Centrais de Informações Turísticas (CIT), no setor de desembarque, diariamente das 7h às 22h.

TRANSPORTE URBANO

Itinerários de ônibus – 156
Metrô – 3286-0111
CPTM - 0800 055 0121


AEROPORTOS

Aeroporto Internacional de Guarulhos (Cumbica) – 6445-2945
Rodovia Hélio Schmidt, s/nº
Funcionamento da administração: das 8h às 17h
Pousos e decolagens: 24 horas
Um posto da Central de Informações Turísticas (CIT) funciona nos terminais 1 e 2, na área de desembarque, diariamente das 6h às 22h.
Telefones úteis
ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil
Terminal de passageiros – corredor de interligação
Telefone: (11) 2445-2421
Anvisa
Terminal de passageiros 2
Telefone: (11) 2445-4435 e 2445-3323
Juizado Especial TJ-SP
Terminal de passageiros 1 - Asa B
Telefone: (11) 2445-4728
Setur – Secretaria de Esporte e Turismo
Terminal de passageiros 1 e 2
Telefones: (11) 2445-3045 e 2445-2793
Ministério da Agricultura - Vigiagro
Terminal de Passageiros – Asa C
Telefone: (11) 2445-3606 e 2445-2800
Polícia Civil
Terminal de Passageiros 2 – Asa C
Telefone: (11) 2445-2221
Polícia Federal
Terminal de Passageiros 1 – Asa A
Telefone: (11) 2445-2221
Polícia Militar
Terminal de Passageiros 1 – Asa B
Telefone: (11) 2445-3750 e 2445-4404
Receita Federal - Alfândega
Terminal de Passageiros 2 - Asa D
Telefone: (11) 2445-4014
Serviço ao Migrante
Terminal de passageiros 1 - Asa B
Telefone: (11) 2445-4719
Infraero
Balcões de Informação
Terminal de Passageiros 1
Terminal de Passageiros 2
CAC – Central de Atendimento ao Cliente de Carga
Terminal de Carga
Telefone: (11) 2445-5000
Central Telefônica Infraero
Telefone: (11) 2445-2945
Serviço de Proteção de Bagagem
Empresa True Star
Terminal de Passageiros 1 e 2 Asas A, B, C e D
Terminal de Passageiros 2
Posto Médico
Terminal de Passageiros 1 – Asa B
Companhias aéreas
Terminal 1 – Asa A
Aerolineas Argentinas - 0800-7073313
Aeromexico - 3253-3888
Air France - 4003-9955
Alitalia - 2171-7610
Avianca - 0800 8918 668 / 0800 8911 684 (atendimento a deficientes auditivos)
British Airways - 4004 4440
Delta Airlines – 2172-7700
Iberia – 3218-7130
Japan Airlines - 0800 771 2100
KLM (Royal Dutch Airlines) - 0800 891 5024
Korean Air - 0800 6060 777
Passaredo - 0800 770 3757
United Airlines - 3145-4200
Webjet - 0800 723 1234
Terminal 1 - Asa B
El Al – Israel Airlines -  3075-5500
Ocean Air - 0800 286 6543
TAM - 4002-5700
Terminal 2 – Asa C
GOL - 0800 704 04 65
Pluna – 3711-9158
Terminal 2 – Asa D
AeroSur - 2445-3136
Air Canada - 3254-6630
American Airlines - 4502-4000
Continental Airlines - 0800 891 2889
Copa Airlines – 3549-2672
Emirates Airlines - 0800 770 2130
Lan - 0300 788 0045
South African Aiways - 0800 7711030 / 0800 7713 999 (atendimento a deficientes auditivos)
Swiss International Airlines - 4700-1543
TAAG - 0800 282 2206
TAP - 0800 727 2347
Transamerican Airlines (TACA) - 0800 761 8222
Turkish Airlines - 3371-9600

Aeroporto Internacional de Congonhas - 5090-9000
Avenida Washington Luís, s/nº
Funcionamento da administração: das 8h às 12h e das 13h às 17h
Telefones úteis
ANAC/SAC
Telefone: (11) 5090-9035
Polícia Civil
Telefone: (11) 5090-9033 | Fax - (11) 5090-9032
Polícia Federal
Telefone: (11) 5090-9046/9366/9056 | Fax - (11) 5090-9049
Polícia Militar
Telefone: (11) 5090-9193
Receita Federal
Telefone: (11) 5090-9365
ANVISA
Telefone: (11) 5090-9228/5093-6308
Correios
Telefone: (11) 5543-0475/5044-5322
Juizado Especial TJ-SP
Telefone: (11) 5090-9801/9802/9803
Comando da Aeronáutica (V COMAR)
Telefone: (11) 3208-0077/0485
SRPV - Serviço Regional de Proteção ao Vôo
Telefone: (11) 2112-3555
ANAC/GER IV
Telefone: (11) 3636-8600
Táxi Aéreo
Interávia
Telefone: (11) 5581-4531/2228/1846/6510
Global
Telefone: (11) 5070-6000/ 0800 55 5684
Jet Star (aero Flyter)
Telefone: (11) 5096-3303/ 9917-0310
Líder
Telefone: (11) 5090-4000
Sul América
Telefone: (11) 2276-0638
Tam Jatos Executivos
Telefone: (11) 5582-8820
Luma
Telefone: (11) 5067-7136
Companhias aéreas
Avianca - 4004-4040 e 0300 789 8160
Azul - 0800 884 4040 / 0800 881 0500 (Atendimento ao deficiente auditivo)
Gol - 0800 704 0465 / 0800 709 0466 (Atendimento ao deficiente auditivo)
NHT - 0300 143 4343
Pantanal - 0800 702 5888
TAM - 5582-8849 (balcão Congonhas) / 0800 555 500 (Atendimento ao deficiente auditivo)
TAP - 0800 727 2347
Webjet - 0800 723 1234 / 0800 723 1122 (Atendimento ao deficiente auditivo)

Aeroporto Campo de Marte - 2223-3700 / 2221-9420 (FAX)
Av. Santos Dumont 1.979, Santana


Fonte: http://www.prefeitura.sp.gov.br/portal/a_cidade/turismo/index.php?p=3690

Telefones Úteis de Macaé-RJ


ACIM (Associação Comercial e Industrial de Macaé)
Aeroporto - Infraero
Asilo da Velhice Desamparada
Associação Médica de Macaé
Azul Limão
Banco Banerj
Banco Bradesco
Banco Caixa Econômica Federal
Banco do Brasil
Banco HSBC
Banco Itaú
Banco Real
Banco Unibanco
Biblioteca Pública Dr. Télio Barreto
Câmara Municipal de Macaé - Palácio do Legislativo
Capitania dos Portos de Macaé
Cedae (Companhia Estadual de Água e Esgoto )
Ceg (Companhia Estadual de Gás )
Cehab - Agência Macaé
Centro de Oportunidades (Empregos)
CERJ (AMPLA)
Cinema - Macaé Shopping
Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito )
Clínica São Lucas
Clube AABB (Ass. Atlética do Banco do Brasil )
Clube Cidade do Sol (Funcionários da Petrobras)
Clube dos Diretores Logistas de Macaé
Clube Recreativo CERJ
Clube - Tênis Clube (Centro)
Clube - Tênis Clube (Praia)
Colégio Barãozinho - Jardim de Infância 
Colégio Bruno Ostmann
Colégio Casinha Feliz
Colégio Centro Educacional Souza
Colégio Instituto N. S. da Glória - Castelo
Colégio Luiz Reid
Colégio Prof. Caetano Dias - CNEC
Colégio São José
Colônia dos Pescadores
Codecon - Comissão de Defesa do Consumidor
Conselho Mun . da Criança e do Adolescente
Correio - Encomendas
Correio - Telegrama Fonado
Correio - Postagem
Creche Mai - Praia Campista
Creche Aprisco
Corpo de Bombeiros - 9º GBM - Macaé
Drogaria - 24 horas
Delegacia da Mulher
Delegacia de Polícia Civil de Macaé - 123ª
Detran e CIC (Centro de Identificação Civil )
Disque Denúncia - Polícia Civil
Disque Denúncia - Polícia Militar
Disque Saúde
Emater Rio
Escola Técnica Federal - UED
Faculdade Fafima ( Fac . Fil ., Ciên . e Letras de Macaé)
Forte Marechal Hermes
Fórum - Comarca de Macaé
Funasa (Fundação Nacional de Saúde)
Fundação Leão XIII
Hemodiálise - CDR (Centro Diálise Renal)
Hemoterapia - Banco de Sangue (Hospital )
Hospital São João Batista - Macaé
Hospital Público de Macaé - HPM
Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente )
IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística )
IEF (Instituto Estadual de Florestas )
IML (Instituto Médico Legal )
INSS (Instituto Nacional de Seguro Social )
Jornal o rebate
Juizado de Pequenas Causas
Junta de Conciliação e Julgamento de Macaé
LMD (Liga Macaense de Desporto)
MacaéTur - Empresa Municipal de Turismo
NUPEM (Núcleo de Pesquisa ecológica de Macaé )
OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) - Macaé
Petrobrás S/A
Polícia Federal de Macaé
Polícia Florestal
Polícia Militar - 5ª CIPM (Companhia Ind. Pol. Militar)
Pronto Socorro - (Parque Aeroporto )
Pronto Socorro - (Hospital )
Pronto Socorro - Pediátrico (Asilo )
Pronto Socorro - Odontológico
Receita Federal
Rodoviária - Administração
Rodoviária - Rápido Macaense
Rodoviária - Rápido São Cristóvão
Rodoviária - Transportadora Macabu
Rodoviária - Viação 1001
Rodoviária - Viação Líder
SASE (Serviço Assistência Social Evangélica )
SEBRAE - Macaé - Balcão.
SENAI (Serviço Nacional de Indústria )
SESI (Serviço Social de Indústria)
Sindicato do Comércio Varejista de Macaé
Sindicato dos Bancários
Sindicato dos Contadores .
Sindicato dos Marinheiros
Sindicato dos Petroleiros - Sindipetro NF
Sindicato Rural de Macaé
SPC (Serviço de Proteção ao Crédito )
Táxis - Câmara dos Vereadores
Táxis - Praça Washington Luís
Táxis - Rodoviária.
Teatro Municipal de Macaé - Bilheteria
Tele-Cheque
Título de Eleitor
TRT (Tribunal Regional do Trabalho )
Universidade Estadual Norte Fluminense - UENF
Universidade Federal Fluminense - UFF
Vésper
Vigilância Sanitária 
2772-2858
2762-0950
2772-7442
2762-5700
2759-4359
2772-9603 2772-2858
2772-1308
2772-4922
2772-6105
2772-1028
2772-4622
2772-1390
2772-0090
2772-4955
2772-2288
2772-1889
2772-5090
2772-4048
2762-3690
2772-4553
2772-5055
2772-6032
2791-5218
2772-0205
2773-5020
2773-4050
2772-4349
2773-1190
2759-0666
2763-9049
2772-2975
2762-0437
2762-0595
2762-1611
2772-0010
2762-0520
2772-0975
2762-7110
2772-1700
2772-6755
2762-0405

0800-550135

2770-2270
2762-0455
2762-0193
2762-6409
2772-0620 - R. 34
2772-0620
2791-3646 
2761-3000
2772-4535
0800-255111
2762-0125
2773-653
2762-1457
2772-4475
2772-1800
2762-0175
2762-0128
2762-9181
2772-1005
2772-1005
2773-0061
2762-2012
2762-1565
2772-1992 - R. 318
2772-0620
2772-2525
2773-2679
2762-9282
2762-4957
2759-0405
2762-8456 
2762-9313
2772-1543
2761-2532
2772-1002
( 21) 2601-2010
2762-0190/2471-6111
2762-7095
2762-0192
2762-0340
2762-0539
2772-6541
2762-0987
2772-4720
2762-1984
2772-4070
2772-1001
2772-3700
2762-1370
2762-9894
2773-3843 
2773-3843
2762-5040
2772-3434
2772-7003
2762-3943
2772-2275
2762-1615
2772-3352
2762-0782
2762-5484
2762-1510
2772-4831
0800-11152
2772-9214
2762-4957
2773-6565
2772-3957
3085-6090
2759-1024 


PREGAÇÃO - Miss. Helena Raquel - Jacó - Completo


Miss. Helena Raquel - Jacó - Completo




JULIO MALDONADO JESUCRISTO ACABO CON TO


JULIO MALDONADO JESUCRISTO ACABO CON TO




segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Evangelista é agredido com pedrada enquanto pregava em praça pública; Veja o vídeo


O evangelista Arlen Soares, ligado à Missão Reluz, foi agredido fisicamente na Praça Rio Branco, conhecida como Praça da Rodoviária, em Belo Horizonte, enquanto pregava um sermão sobre a necessidade de que cada pessoa se empenhe na busca por uma mudança de vida.

Arlen Soares é conhecido na capital mineira por pregar na Praça da Rodoviária há mais de 10 anos. A região é um ambiente urbano degradado, com presença de prostíbulos, pontos de tráfico de drogas e grande número de mendigos.

De acordo com informações do site Noticias Cristãs, Arlen Soares adota uma linha de pregação dura, contra a teologia da prosperidade e doutrinas neopentecostais, e constantemente fala contra líderes evangélicos como Silas Malafaia, Edir Macedo, R. R. Soares, Valdemiro Santiago e David Miranda (líder da Igreja Pentecostal Deus é Amor).

A agressão aconteceu na última sexta-feira, 25 de outubro, e partiu de um espectador – que também seria evangélico – incomodado com o discurso de críticas fortes às mensagens dogmáticas pregadas na maioria das igrejas.

Enquanto o evangelista falava, foi surpreendido com uma pedrada na cabeça, que causou um corte profundo. Os transeuntes que haviam parado para ouvir a mensagem do Evangelho, tentaram impedir a fuga do agressor, mas não conseguiram.

Arlen estava acompanhado de alguns colaboradores de sua iniciativa evangelística e foi socorrido. Sangrando, entregou o microfone para um homem identificado apenas como Ronaldo, e foi levado a um hospital da região onde recebeu três pontos.

Assista o vídeo com cenas da agressão:
http://www.youtube.com/watch?v=zr8PdF3RgOA


Por Tiago Chagas, para o Gospel+

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

MANUSCRITOS DA BÍBLIA

Manuscritos da Bíblia

As Escrituras Sagradas têm origem sobre-humana no que se refere ao conteúdo, mas têm uma história humana no que se refere à sua escrita e preservação. Moisés começou a compilação delas sob inspiração divina em 1513 a.C., e o apóstolo João escreveu a parte final mais de 1.600 anos depois. A Bíblia, originalmente, não era um só livro, mas, com o passar do tempo, surgiu uma demanda de cópias dos seus diversos livros. Por exemplo, era assim depois do exílio babilônico, porque nem todos os judeus libertos retornaram à terra de Judá. Antes, muitos se estabeleceram em outros lugares, e no vasto território da resultante Diáspora (Dispersão) judaica surgiram sinagogas. Escribas prepararam cópias das Escrituras, necessitadas por essas sinagogas em que os judeus se reuniam para ouvir a leitura da Palavra de Deus. (At. 15:21) Em tempos posteriores, entre os seguidores de Cristo, copistas conscienciosos labutaram para reproduzir os escritos inspirados em benefício das igrejas cristãs que se multiplicavam, para que houvesse um intercâmbio e uma circulação geral deles. - Cl. 4:16.

Antes de se tornar comum a impressão com tipos móveis (a partir do século 15 d.C.), os escritos originais da Bíblia e também as cópias eram feitos a mão. Por isso são chamados de manuscritos (do latim: manu scriptus, "escritos a mão"). O manuscrito bíblico é uma cópia das Escrituras, inteiras ou em parte, feita a mão, distinta de uma cópia impressa. Os manuscritos bíblicos foram preparados principalmente na forma de rolos e de códices.

Materiais. Há manuscritos em couro, papiro e velino, das Escrituras. O famoso Rolo do Mar Morto de Isaías, por exemplo, é um rolo de couro. O papiro, um tipo de papel feito das fibras duma planta aquática, foi usado para manuscritos bíblicos nas línguas originais e traduções dos mesmos até por volta do quarto século EC. Naquele tempo, seu uso para manuscritos bíblicos passou a ser suplantado pelo uso do velino, um pergaminho fino, em geral feito de pele de bezerro, cordeirinho ou cabra, um aperfeiçoamento do uso anterior de peles de animais como material de escrita. Manuscritos tais como o famoso Codex Sinaiticus (Manuscrito Sinaítico) e o Codex Vaticanus (Manuscrito Vaticano N.° 1209), do quarto século, são códices em pergaminho, ou velino.

Palimpsesto (lat.: palimpsestus; gr.: palímpsestos, que significa "raspado novamente") é o manuscrito do qual se apagou ou raspou a escrita anterior para possibilitar uma nova escrita. Um famoso palimpsesto bíblico é o Codex Ephraemi Syri rescriptus do quinto século. Caso a escrita anterior (a escrita raspada) seja a importante no palimpsesto, freqüentemente os peritos conseguem ler esta escrita apagada por recorrer a meios técnicos, que incluem o uso de reagentes químicos e fotografia. Alguns manuscritos do Novo Testamento (NT) são lecionários, leituras bíblicas escolhidas para uso em serviços religiosos.

Estilos de Escrita. Os manuscritos bíblicos escritos em grego (quer traduções do Velho Testamento (VT), quer cópias do NT, ou ambas) podem ser divididos, ou classificados, segundo o estilo de escrita, o que ajuda também a datá-los. O estilo mais antigo (empregado especialmente até o nono século) é o manuscrito uncial, escrito em grandes letras maiúsculas, separadas. Nele não costuma haver separação de palavras, e faltam pontuação e acentos. O Códice Sinaítico é tal manuscrito uncial. Mudanças no estilo de escrita começaram a surgir no sexto século, o que eventualmente levou (no nono século) ao manuscrito cursivo, ou em minúsculas, escrito em letras menores, muitas delas emendadas num estilo de escrita corrente ou fluente. A maioria dos manuscritos existentes do NT têm escrita cursiva. Os manuscritos cursivos permaneceram em voga até a invenção da imprensa.

Copistas. Tanto quanto se sabe hoje, não existe mais nenhum manuscrito original, ou autógrafo. Todavia, a Bíblia tem sido preservada em forma exata, fidedigna, porque os copistas bíblicos, em geral, por aceitarem as Escrituras como divinamente inspiradas, procuravam a perfeição no seu trabalho árduo de produzir cópias manuscritas da Palavra de Deus.

Os homens que copiavam o VT nos dias do ministério de Jesus Cristo na terra, e durante séculos antes daquele tempo, eram chamados de escribas (hebr.: sohferím). Entre os primitivos escribas estava Esdras, mencionado nas Escrituras como "copista destro" (Es. 7:6). Escribas posteriores fizeram algumas alterações deliberadas no texto hebraico. Mas os escribas que os sucederam, os massoretas, as descobriram e registraram na Massorá, ou nas notas nas margens do texto hebraico, massorético, que produziram.

Os copistas do NT também fizeram sérios esforços para reproduzir com fidelidade o texto das Escrituras.

Que garantia há de que a Bíblia não foi alterada?

Apesar do cuidado dos copistas dos manuscritos da Bíblia, introduziram-se no texto alguns pequenos erros e alterações de escribas. Em geral, são insignificantes e não alteram a integridade geral da Bíblia. Foram descobertos e corrigidos por meio de cuidadosa colação erudita ou comparação crítica dos muitos manuscritos e versões antigos existentes. O estudo crítico do texto hebraico das Escrituras começou perto do fim do século 18. Benjamin Kennicott publicou em Oxford (em 1776-1780) o texto de mais de 600 manuscritos hebraicos, massoréticos, e o perito italiano Giambernardo de Rossi publicou em Parma as comparações de 731 manuscritos, entre 1784 e 1798. Textos padrões das Escrituras Hebraicas foram também produzidos pelo perito alemão Baer, e, mais recentemente, por C. D. Ginsburg. Rudolf Kittel, hebraísta, lançou em 1906 a primeira edição da sua Biblia Hebraica, fornecendo nela um estudo textual por meio de notas de rodapé, que comparam muitos manuscritos hebraicos do texto massorético. O texto básico usado por ele foi o texto de Ben Chayyim. Mas, quando os mais antigos e superiores textos massoréticos de Ben Asher se tornaram disponíveis, Kittel empreendeu a produção de uma terceira edição, inteiramente nova, que após a sua morte foi completada por seus colegas.

A primeira edição impressa do NT foi a que apareceu na Poliglota Complutense (em grego e latim), de 1514-1517. Daí, em 1516, o perito holandês Desidério Erasmo publicou a primeira edição dum texto grego padrão do NT. Este continha muitos erros, mas um texto melhorado delas tornou-se disponível por meio de edições sucessivas, entre 1519 e 1535. Mais tarde, o impressor e editor parisiense Robert Estienne, ou Stephanus, publicou diversas edições do "Novo Testamento" grego, baseadas principalmente no texto de Erasmo, mas com correções segundo a Poliglota Complutense (edição de 1522) e 15 manuscritos posteriores. A terceira edição do texto grego de Stephanus (publicado em 1550) tornou-se, na realidade, o "Texto Recebido" (chamado em latim de textus receptus), usado para muitas das primeiras versões em inglês, inclusive a King James Version (Versão Rei Jaime) de 1611.

Bastante notável, em tempos mais recentes, é o texto grego padrão preparado por J. J. Griesbach, que se valeu da matéria coletada por outros, mas que também deu atenção às citações bíblicas feitas por escritores anteriores, tais como Orígenes. Além disso, Griesbach estudou os textos de diversas versões, tais como a armênia, a gótica e a filoxeniana. Ele considerava os manuscritos existentes como constituindo três famílias, ou recensões, a bizantina, a ocidental e a alexandrina, dando preferência aos textos desta última. Lançaram-se edições do seu texto grego padrão entre 1774 e 1806, publicando-se a edição principal do inteiro texto grego em 1796-1806. O texto de Griesbach foi usado para a tradução inglesa de Sharpe, de 1840, e é o texto grego constante em The Emphatic Diaglott (A Diaglott Enfática), de Benjamin Wilson, de 1864.

Um texto grego padrão do NT que obteve ampla aceitação é o produzido em 1881 pelos peritos B. F. Westcott e F. J. A. Hort, da Universidade de Cambridge. Era o produto de 28 anos de trabalho independente, embora se consultassem regularmente. Assim como Griesbach, eles dividiram os manuscritos em famílias e se estribaram fortemente no que classificaram de "texto neutro", que incluía o famoso Manuscrito Sinaítico e o Manuscrito Vaticano N.° 1209, ambos do quarto século. Embora Westcott e Hort considerassem as questões como bastante conclusivas quando esses manuscritos concordavam, e especialmente quando eram apoiados por outros antigos manuscritos unciais, eles não se limitaram a esta posição. Tomaram em consideração todos os fatores concebíveis no empenho de solucionar problemas apresentados por textos conflitantes; e quando duas versões tinham peso igual, eles indicaram isso também no seu texto padrão. 

O Professor Kurt Aland, comentando a história do texto do NT e os resultados da moderna pesquisa textual, escreveu: "É possível determinar, à base de 40 anos de experiência e dos resultados que vieram à luz no exame de . . . manuscritos em pelo menos 1.200 pontos de teste: O texto do Novo Testamento foi transmitido de modo excelente, melhor do que quaisquer outros escritos dos tempos antigos; a possibilidade de ainda se encontrarem manuscritos que alterariam decisivamente seu texto é nula." -Das Neue Testament - zuverlässig überliefert (O Novo Testamento - Transmitido Fidedignamente), Stuttgart, 1986, pp. 27, 28.

Os manuscritos existentes do NT (em grego e em outras línguas) mostram variantes de texto. É de esperar que haja variantes em vista da imperfeição humana, e do copiar e recopiar manuscritos, especialmente por muitos copistas que não eram profissionais. Quando certos manuscritos tiveram um manuscrito comum por base, talvez procedendo duma determinada revisão de textos anteriores, ou foram produzidos em determinada região, eles provavelmente têm pelo menos algumas variações em comum, e, por isso, se diz que pertencem à mesma família, ou grupo. À base da similaridade de tais diferenças, os peritos têm procurado classificar os textos em grupos, ou famílias, cujo número tem aumentado com o passar do tempo, a ponto de se fazer agora referência aos textos alexandrino, ocidental, oriental (siríaco ou cesariano) e bizantino, representados em diversos manuscritos ou em diferentes leituras espalhadas em numerosos manuscritos. Mas, apesar das variações peculiares a diferentes famílias de manuscritos (e das variações dentro de cada grupo), as Escrituras nos foram transmitidas essencialmente na mesma forma dos originais escritos inspirados. As variações na leitura não influem nos ensinos bíblicos em geral. As colações eruditas têm corrigido os erros de importância, de modo que hoje temos um texto autêntico e fidedigno.

Desde que Westcott e Hort produziram seu texto grego refinado, já se produziram diversas edições críticas do NT. Notável entre elas é The Greek New Testament (O Novo Testamento Grego), publicado pelas United Bible Societies (Sociedades Bíblicas Unidas), agora já na terceira edição. De fraseologia idêntica é a 26.a edição do chamado texto Nestle-Aland, publicado em 1979 em Stuttgart, na Alemanha.

Manuscritos do Velho Testamento. Existem hoje, em diversas bibliotecas, possivelmente 6.000 manuscritos do inteiro VT ou de partes dele. A vasta maioria deles contém o texto massorético e é do décimo século, ou de época posterior. Os massoretas (da segunda metade do primeiro milênio) procuravam transmitir fielmente o texto hebraico e não fizeram nenhuma mudança na fraseologia do próprio texto. Todavia, para preservar a tradicional pronúncia do texto consonantal sem vogais, inventaram um sistema de sinais vocálicos e de acentos. Além disso, na sua Massorá, ou notas marginais, trouxeram à atenção peculiaridades do texto e forneceram as leituras corrigidas que acharam necessárias. É o texto massorético que é publicado nas Bíblias hebraicas impressas hoje em dia.

Os manuscritos danificados do VT usadas nas sinagogas judaicas eram substituídos por cópias verificadas, e os manuscritos estragados ou danificados eram guardados na genizá (depósito ou repositório na sinagoga). Por fim, quando esta estava cheia, os manuscritos eram retirados e cerimonialmente queimados. Sem dúvida, muitos dos antigos manuscritos pereceram assim. Mas o conteúdo da genizá da sinagoga no Antigo Cairo foi poupado, provavelmente porque fora fechada por um muro e esquecida por séculos. Depois da reconstrução da sinagoga, em 1890, os manuscritos da sua genizá foram reexaminados, e dali é que manuscritos razoavelmente completos ou fragmentos do VT (alguns supostamente do sexto século) chegaram a diversas bibliotecas.

Um dos mais antigos manuscritos existentes de passagens bíblicas é o Papiro Nash, encontrado no Egito e preservado em Cambridge, na Inglaterra. Tendo sido evidentemente parte duma coleção de instrução, ele é do segundo ou primeiro século a.C. e consiste em apenas quatro fragmentos de 24 linhas dum texto pré-massorético dos Dez Mandamentos e de alguns versículos de Deuteronômio, capítulos 5 e 6.

A partir de 1947, encontraram-se muitos rolos bíblicos e não-bíblicos em diversas áreas ao O do mar Morto, que geralmente são chamados de Rolos do Mar Morto. Os mais significativos entre eles são os manuscritos descobertos em diversas cavernas no uádi Qumran (Nahal Qumeran) e nos arredores. Estes são também conhecidos como textos de Qumran e evidentemente pertenciam a uma comunidade religiosa, judaica, sediada na vizinha Khirbet Qumran (Horvat Qumeran). A primeira descoberta foi feita por um beduíno numa caverna a uns 15 km ao S de Jericó, onde ele encontrou diversos jarros de cerâmica contendo manuscritos antigos. Um destes era o agora famoso Rolo do Mar Morto de Isaías (1QIsa), um bem preservado rolo de couro de todo o livro de Isaías, exceto algumas lacunas. Contém um texto hebraico pré-massorético e foi datado como pertencente ao fim do segundo século a.C.. Portanto, é cerca de mil anos mais velho do que os mais antigos manuscritos existentes do texto massorético. Todavia, embora apresente algumas diferenças na grafia e na construção gramatical, não varia doutrinalmente do texto massorético. Entre os documentos recuperados na área de Qumran há fragmentos de mais de 170 rolos, representando partes de todos os livros do VT, exceto Ester, e no caso de alguns livros, existe mais de uma cópia. Acredita-se que estes rolos e fragmentos de manuscritos datem desde cerca de 250 a.C. até aproximadamente meados do primeiro século d.C., e revelam mais de um tipo de texto hebraico, tal como um texto protomassorético ou um usado para a Septuaginta grega. Os estudos de toda esta matéria ainda estão em progresso.

Entre os notáveis manuscritos hebraicos em velino, do VT, encontra-se o Códice Caraíta do Cairo dos Profetas. Contém a Massorá e vocalização, e seu colofão indica que foi completado por volta de 895 pelo famoso massoreta Moses ben Asher de Tiberíades. Outro manuscrito significativo (de 916) é o Códice dos Profetas Posteriores de Petersburgo. O Códice Sefárdico de Alepo, antigamente guardado em Alepo, Síria, e agora em Israel, até recentemente continha todas o VT. Seu original texto consonantal foi corrigido, pontuado e suprido da Massorá por volta de 930 por Aaron ben Asher, filho de Moses ben Asher. O manuscrito de data mais antiga do VT em hebraico é o Manuscrito de Leningrado N.° B 19A, preservado na Biblioteca Pública de Leningrado. Foi copiado em 1008 "dos livros corrigidos, preparados e anotados por Aaron ben Moses ben Asher, o instrutor". Outro manuscrito hebraico digno de nota é um códice do Pentateuco, preservado no Museu Britânico (Códice Oriental 4445), que consiste no texto de Gênesis 39:20 a Deuteronômio 1:33 (com exceção de Núm 7:46-73 e <G<Þ>G>Núm<G<Ü>G> 9:12-10:18, que faltam ou foram supridos por uma mão posterior) e data provavelmente do século 10.

Muitos manuscritos dao VT da Bíblia foram escritos em grego. Entre estes, destaca-se um na coleção dos Papiros Fouad (Número de Inventário 266, pertencente à Société Egyptienne de Papyrologie, Cairo), com partes de Gênesis e da segunda metade de Deuteronômio, segundo a Septuaginta. Ele é do primeiro século a.C.. Fragmentos de Deuteronômio, capítulos 23 a 28, são encontrados no Papiro Rylands iii. 458, do segundo século a.C., preservado em Manchester, Inglaterra. Outro importante manuscrito daSeptuaginta contém fragmentos de Jonas, Miquéias, Habacuque, Sofonias e Zacarias. 

Manuscritos do Novo Testamento. O NT foi escrito em coiné. Embora não se saiba hoje da existência de nenhum manuscrito autógrafo original, segundo certo cálculo, existem cerca de 5.000 cópias manuscritas destas Escrituras em grego, na íntegra ou em parte.

Manuscritos em papiro. Entre os códices em papiro encontrados no Egito por volta de 1930 encontravam-se papiros bíblicos de grande importância, anunciando-se a sua compra em 1931. Alguns destes códices em grego (datando do segundo ao quarto séculos) consistem em partes de oito livros do VT (Gênesis, Números, Deuteronômio, Isaías, Jeremias, Ezequiel, Daniel e Ester), e três deles contêm partes de 15 livros do NT. A maioria destes papiros bíblicos foi comprada por um colecionador americano de manuscritos, A. Chester Beatty, e eles são agora preservados em Dublim, na Irlanda. Os demais foram adquiridos pela Universidade de Michigan e por outros.

A designação internacional para os papiros bíblicos é um "P" maiúsculo, seguido por um pequeno número elevado. O Papiro Chester Beatty N.° 1 (P45) consiste em partes de 30 folhas dum códice que provavelmente tinha antigamente cerca de 220 folhas. O P45 tem partes dos quatro Evangelhos e o livro de Atos. O Papiro Chester Beatty N.° 3 (P47) é um códice fragmentário de Apocalipse de dez folhas um pouco danificadas. Acredita-se que estes dois papiros sejam do terceiro século. Bastante digno de nota é o Papiro Chester Beatty N.° 2 (P46), que se acredita ser de aproximadamente 200. Tem 86 folhas, um pouco danificadas, dum códice que provavelmente tinha de início 104 folhas, e ainda contém nove das cartas inspiradas de Paulo: Romanos, Hebreus, Primeira Coríntios, Segunda Coríntios, Efésios, Gálatas, Filipenses, Colossenses e Primeira Tessalonicenses. É notável que a carta aos hebreus esteja incluída neste primitivo códice. Visto que Hebreus não fornece o nome do escritor, sua composição por Paulo freqüentemente tem sido questionada. Mas a inclusão desta carta no P46, que evidentemente consiste só nas cartas de Paulo, indica que, por volta de 200, Hebreus era aceito pelos primitivos cristãos como escrita inspirada do apóstolo Paulo. Neste códice consta a carta aos Efésios, também refutando argumentos de que Paulo não escreveu esta carta.

Na Biblioteca John Rylands, em Manchester, na Inglaterra, existe um pequeno fragmento de papiro do Evangelho de João (alguns versículos do capítulo 18 <G<Þ>G>de João<G<Ü>G>), catalogado como Papiro Rylands 457. Tem a designação internacional de P52. Trata-se do mais antigo fragmento de manuscrito do NT em existência, tendo sido escrito na primeira metade do segundo século, possivelmente por volta de 125, e assim apenas cerca de um quarto de século depois da morte de João. Estar uma cópia do Evangelho de João já naquele tempo em circulação no Egito (lugar da descoberta do fragmento) mostra que as boas novas segundo João realmente foram registradas no primeiro século, e pelo próprio João, não por algum escritor desconhecido bem mais tarde, no segundo século, após a morte de João, conforme alguns críticos antigamente afirmavam.

O acréscimo mais importante à coleção de papiros bíblicos, desde a descoberta dos Papiros Chester Beatty, foi a adquisição dos Papiros Bodmer, publicados entre 1956 e 1961. Especialmente dignos de nota são o Papiro Bodmer 2 (P66) e o Papiro Bodmer 14, 15 (P75), ambos escritos por volta de 200. O Papiro Bodmer 2 contém uma grande parte do Evangelho de João, ao passo que o Papiro Bodmer 14, 15 contém muito de Lucas e de João, e textualmente é bem parecido ao Manuscrito Vaticano N.° 1209.

Manuscritos em velino. Manuscritos bíblicos escritos em velino às vezes incluem tanto o VT como o NT da Bíblia, embora alguns contenham apenas o NT.

O Códice Bezae, designado pela letra "D", é um valioso manuscrito do quinto século EC. Embora se desconheça seu verdadeiro lugar de origem, foi adquirido na França em 1562. Contém os Evangelhos, o livro de Atos, e apenas mais uns poucos versículos, e é um manuscrito uncial, escrito em grego nas páginas da esquerda, com um texto paralelo em latim nas páginas à direita. Este códice é preservado na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, presenteado a esta instituição por Theodore Beza, em 1581.

O Códice Claromontano (D2) também está escrito em grego e em latim em páginas opostas, o grego à esquerda e o latim à direita. Contém as cartas canônicas de Paulo, inclusive Hebreus, e é considerado ser do sexto século. Foi supostamente encontrado no mosteiro de Clermont, na França, e foi adquirido por Theodore Beza, mas é agora preservado na Bibliothèque Nationale em Paris.

Entre os mais recentemente encontrados manuscritos em velino do NT está o Códice Washington I, contendo os Evangelhos em grego (na costumeira ordem ocidental: Mateus, João, Lucas e Marcos). Foi obtido em 1906 no Egito e é preservado na Galeria de Arte Freer, em Washington, D.C., EUA. O símbolo internacional deste códice é "W", e acha-se que foi escrito no quinto século, exceto que, pelo visto, por causa de danos, parte de João foi substituída no sétimo século. O Códice Washington II, com o símbolo "I", também se encontra na Coleção Freer e contém partes das cartas canônicas de Paulo, inclusive Hebreus. Acredita-se que este códice tenha sido escrito no quinto século.

Velho e Novo Testamentos cristãos. Os mais importantes e mais completos manuscritos bíblicos em grego existentes foram escritos em velino, com letras unciais.

Manuscrito Vaticano N.° 1209. O Manuscrito Vaticano N.° 1209 (Codex Vaticanus), internacionalmente designado pelo símbolo "B", é um códice uncial do quarto século EC, possivelmente produzido em Alexandria, que originalmente continha toda a Bíblia em grego. Um revisor em tempos posteriores retraçou as letras, talvez porque a escrita original tinha desbotado, mas pulou letras e palavras que considerava incorretas. É provável que este códice tinha originalmente cerca de 820 folhas, das quais restam 759. Desapareceu a maior parte de Gênesis, bem como parte dos Salmos, Hebreus 9:14 a 13:25, e toda a Primeira e Segunda Timóteo, Tito, Filêmon e Revelação. O Codex Vaticanus está sendo preservado na Biblioteca do Vaticano, em Roma, na Itália, e sabe-se que está ali já desde o século 15. Todavia, as autoridades da Biblioteca do Vaticano tornaram extremamente difícil aos peritos o acesso a este manuscrito e só publicaram um fac-símile fotográfico completo do códice inteiro em 1889-1890.

Manuscrito Sinaítico. O Manuscrito Sinaítico (Códice Sinaítico) também é do quarto século EC, mas o Códice Vaticano talvez seja um pouco mais antigo. O Manuscrito Sinaítico é designado pelo símbolo ! (´á•lefe, a primeira letra do alfabeto hebraico), e embora seja evidente que outrora continha toda a Bíblia em grego, perdeu-se parte do VT. Todavia, contém todo o NT. É provável que este códice consistisse originalmente em pelo menos 730 folhas, embora se verifique hoje que existem por inteiro ou em partes apenas 393 folhas. Foi descoberto (uma parte em 1844 e outra em 1859) pelo perito bíblico Konstantin von Tischendorf no Mosteiro de Sta. Catarina, no monte Sinai. Quarenta e três folhas deste códice estão guardadas em Leipzig, partes de três folhas se encontram em Leningrado, e 347 folhas são preservadas no Museu Britânico em Londres. Relatou-se que em 1975 se descobriram mais 8 a 14 folhas no mesmo mosteiro.

Manuscrito Alexandrino. O Manuscrito Alexandrino (Códice Alexandrino), designado pela letra "A", é um manuscrito grego uncial que contém a maior parte da Bíblia, inclusive o livro de Revelação. Das possivelmente 820 folhas originais foram preservadas 773. Considera-se em geral que este códice seja da primeira metade do quinto século, e ele também é preservado no Museu Britânico. 

Codex Ephraemi Syri rescriptus. O Codex Ephraemi Syri rescriptus (Códice de Ephraem), internacionalmente designado pela letra "C", em geral também é considerado como originário do quinto século EC. Está escrito em letras unciais gregas sobre velino e é um códice reescrito, um manuscrito palimpsesto. O texto original grego foi removido, e diversas folhas foram então reescritas com discursos de Ephraem Syrus (o Sírio), em grego. Isto provavelmente foi feito no século 12, quando havia escassez de velino. No entanto, o texto subjacente foi decifrado. Embora "C" evidentemente contivesse outrora todas as Escrituras em grego, restam apenas 209 folhas, sendo 145 do NT. Portanto, este códice contém agora apenas partes dos livros do VT e partes de todos os livros do NT, exceto Segunda Tessalonicenses e Segunda João. É preservado na Bibliothèque Nationale em Paris.

Fidedignidade do Texto Bíblico. O apreço pela fidedignidade da Bíblia aumenta grandemente quando se percebe, em comparação, que há apenas muito poucos manuscritos existentes das obras dos escritores clássicos seculares e que nenhum destes é manuscrito original, autógrafo. Embora sejam apenas cópias feitas séculos depois da morte dos autores, os peritos atuais aceitam essas cópias posteriores como evidência suficiente da autenticidade do texto.

Os existentes manuscritos hebraicos das Escrituras foram feitos com muito cuidado. A respeito do texto do VT, o perito W. H. Green observou: "Pode-se dizer com segurança que nenhuma outra obra da antiguidade foi transmitida com tanta exatidão." (Archaeology and Bible History [A Arqueologia e a História Bíblica], de J. P. Free, 1964, p. 5) O falecido perito em textos bíblicos, Sir Frederic Kenyon, fez a seguinte declaração tranqüilizadora na introdução dos seus sete volumes intitulados The Chester Beatty Biblical Papyri (Os Papiros Bíblicos Chester Beatty): "A primeira e a mais importante conclusão a que se chega à base do exame deles [os Papiros] é a satisfatória de que confirmam a exatidão essencial dos textos existentes. Não aparece nenhuma variação substancial ou fundamental, quer no Velho, quer no Novo Testamento. Não há nenhumas omissões ou adições importantes de trechos, nem variações que influam em fatos ou doutrinas vitais. As variações do texto influem em questões menores, tais como a ordem das palavras ou as palavras precisas usadas. . . . Mas a sua importância essencial é sua confirmação da integridade de nossos textos existentes, pela evidência duma data anterior à disponível até agora. Neste respeito, são uma adquisição de valor que marca época." - Londres, 1933, Fascículo I, p. 15.

Sir Frederic Kenyon declarou a respeito do NT: "O intervalo, então, entre as datas da composição original e a mais antiga evidência existente se torna tão pequeno que é, com efeito, insignificante, e a última base para qualquer dúvida de que as Escrituras chegaram até nós substancialmente como foram escritas foi agora removida. Tanto a autenticidade como a integridade geral dos livros do Novo Testamento podem ser consideradas como finalmente confirmadas." - The Bible and Archaeology (A Bíblia e a Arqueologia), 1940, pp. 288, 289.

Há séculos, Jesus Cristo, "a testemunha fiel e verdadeira" (Ap. 3:14), confirmou repetida e enfaticamente a genuinidade do VT, assim como fizeram seus apóstolos (Lu 24:27, 44; Ro 15:4). Versões e traduções antigas existentes confirmam adicionalmente a exatidão do VT preservadas. Manuscritos e versões do NT dão incontestável testemunho da maravilhosa preservação e transmissão exata desta parte da Palavra de Deus. Portanto, somos agora favorecidos com um texto bíblico autêntico, inteiramente confiável. O meticuloso exame dos manuscritos preservados das Escrituras Sagradas dá eloqüente testemunho da sua fiel preservação e permanência, dando um significado adicional à declaração inspirada: "Secou-se a erva verde, murchou a flor; mas, quanto à palavra de nosso Deus, ela durará para sempre" - Is 40:8; 1Pe 1:24, 25.

Fonte - http://logoshp.6te.net/bbman.htm

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Cruz Vermelha e Banco de Alimentos são acusados de excluir evangélicos em distribuição de alimentos destinados a obras sociais


Várias organizações e igrejas evangélicas na Espanha, responsáveis por realizar a distribuição de alimentos em algumas obras sociais, beneficiando centenas de famílias carentes, estão acusando a Cruz Vermelha e o Banco de Alimentos de tratamento discriminatório em favor de outras organizações.

De acordo com o Protestante Digital, nos últimos meses tais igrejas e instituições realizaram reclamações junto ao serviço jurídico da Federação Evangélica (FEREDE), afirmando estarem enfrentando problemas para receber as doações oriundas dessas instituições. A razão desse problema, segundo a FEREDE, seriam as rigorosas exigências que foram enviadas pelo Fundo Espanhol de Garantia Agrícola (FEGA-Ministério da Agricultura) para uma “reorganização eficaz” do “Plano 2012 de ajuda aos necessitados”.

Porém, as instituições evangélicas têm afirmando que essa reorganização estaria fazendo um trabalho discriminatório contra elas, por as expluir do circuito assistencial em benefício de outras organizações.

Com base nessas informações, a FEREDE está levantando o número de entidades afetadas pelas exigências impostas por tais exigências, a fim de tentar estabelecer uma linha direta de comunicação com o Fundo Espanhol de Garantia Agrícola para evitar que as instituições evangélicas sejam excluídas do Plano e percam os recursos que seriam destinados para seus trabalhos de serviço social.

Por Dan Martins, para o Gospel+


Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/

“Bispo do Luxo”: Bispo católico é alvo de polêmica após gastar 31 milhões de euros em reforma de sua residência particular


“Bispo do Luxo”: Bispo católico é alvo de polêmica após gastar 31 milhões de euros em reforma de sua residência particular

Em meio aso anúncios feitos pelo Papa Francisco de que a Igreja Católica deve ser uma “igreja para os pobres”, e que para isso os sacerdotes da instituição precisam viver de maneira mais austera, um bispo alemão se tornou o centro de uma grande polêmica ao gastar 31 milhões de euros para reformar sua residência particular.

Apelidado pela imprensa alemã de “o bispo do luxo”, o bispo de Limburgo, Franz-Peter Tebartz-van Elst, construiu um enorme complexo que inclui, além de sua residência privada, um escritório, instalação para as freiras, salas de recepções e conferencia, átrio, capela privada, museu da diocese e um parque privado, além da catedral de Limburgo.

De acordo a agência Reuters, depois de uma auditoria inicial dos gastos do bispo, encomendada após um monitor Vaticano visitar Limburgo, no mês passado, foi revelado que o projeto teve um custo de pelo menos 31 milhões de euros, seis vezes mais do que o planejado.

Sob investigação episcopal devido aos gastos considerados excessivos, o bispo afirma que as mudanças no orçamento da obra se deram devido ao estatuto de “patrimônio protegido” da catedral centenária de Limburgo, adjacente à construção.

- Entendo que 31 milhões de euros soa assustador – afirmou o bispo ao jornal Bild, afirmando ainda que “os que me conhecem sabem que não levo um estilo de vida de muito luxo”.

Tebartz-van Elst, que também é acusado por magistrados alemães de mentir sob juramento sobre um voo de primeira classe para visitar programas de pobreza em Índia, se tornou notícia de primeira página em vários jornais alemães, e motivou declarações de diversas autoridades da igreja católica no país, como o arcebispo Robert Zollitsch, presidente da Conferência dos Bispos da Alemanha.

- Estou convencido de que o bispo de Limburgo… vai enfrentar essa situação com um espírito de autocrítica – afirmou o arcebispo, em coletiva de imprensa no Vaticano.

Zollitsch disse ainda que analisa a situação Limburgo “com grande atenção e grande preocupação” e que a Igreja alemã “teria que enfrentar as consequências” do escândalo que está a está abalando. Ele afirma ainda ter enviado ao papa um dossiê sobre o caso.

Considerado uma das maiores figuras do ranking da Igreja Católica na Alemanha, Zollitsch afirma que vai discutir a crise esta semana com o papa Francisco.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/

sábado, 12 de outubro de 2013

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Muçulmanos paquistaneses formam corrente humana para proteger cristãos contra ataques de extremistas; Veja fotos


Um gesto de repúdio a um ataque terrorista feito por extremistas muçulmanos contra uma igreja cristã no Paquistão demonstrou que a perseguição religiosa no país não é uma unanimidade.

Cerca de 300 muçulmanos paquistaneses fizeram uma corrente dando as mãos em volta de uma igreja em demonstração de solidariedade às vítimas do ataque à congregação cristã de Peshawar, que resultou em mais de 100 mortes, segundo o Huffington Post.

O ataque suicida cometido por dois extremistas à All Saints Church aconteceu em 22 de setembro, após a celebração matutina do domingo, quando os fiéis deixavam o local.

A imprensa do país classificou o ataque como o mais mortífero já praticado contra cristãos no país, que é de maioria muçulmana.

Veja fotos:







Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/

Atentado terrorista a igreja no Paquistão resulta na morte de 81 fiéis e mais de 130 feridos graves


Atentado terrorista a igreja no Paquistão resulta na morte de 81 fiéis e mais de 130 feridos graves

Um ataque terrorista suicida neste domingo, 22/09, em frente a uma igreja cristã no Paquistão resultou na morte de 81 fiéis e ferimentos graves em outros 130 até o momento.

Dois terroristas acionaram as bombas amarradas ao corpo por volta do meio dia, horário local, horário em que a celebração matutina estava sendo encerrada.

Autoridades de Peshawar, localidade onde houve o atentado, afirmam que nenhum grupo ativista reivindicou a autoria do ataque. A região é conhecida como alvo de diversas ações extremistas de grupos muçulmanos talibãs.

A imprensa internacional tem relatado o caso como um dos ataques mais graves e mortíferos cometidos contra cristãos no Paquistão, que é majoritariamente muçulmano, enquanto cristãos somam apenas 2%.

“A maioria dos feridos está em situação crítica”, afirmou  Sahibzada Annes, porta-voz da prefeitura de Peshawar. “Estamos em um local que é alvo potencial para os terroristas; foram tomadas medidas especiais para proteger estas igrejas. Ainda estamos na fase de socorros, mas quando terminar investigaremos para saber o que falhou”, acrescentou.

O ataque é considero o pior da história contra os cristãos do Paquistão e tem gerado protestos da comunidade contra o governo acusando-o de nada fazer para evitar e responder a essas tragédias. Nesta segunda-feira centenas de cristãos fecharam ruas de diversas cidades paquistanesas pedindo justiça, proteção e menos violência.

A Judullah, braço paquistanês do Talibã, assumiu a autoria do atentado e avisou que “todos os não-muçulmanos no Paquistão são nossos alvos” e exigiu o fim da utilização de drones americanos no espaço aéreo paquistanês, segundo a Associated Press.

Em pronunciamento oficial após o atentado, o Papa Francisco afirmou que “hoje no Paquistão, por uma opção equivocada de ódio e guerra, foi cometido um atentado (…) mas esse não é o caminho, é preciso encontrar o caminho para construir a paz e um mundo melhor”, disse ele.

Por Tiago Chagas e Renato Cavallera, para o Gospel+

Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/

Paulo Junior - Ímpios Na Igreja

Paulo Junior - Ímpios Na Igreja




"CRESÇA!" Para não ser enganado por falsos ministros movidos por espíritos malignos!


"CRESÇA!" Para não ser enganado por falsos ministros movidos por espíritos malignos!




terça-feira, 8 de outubro de 2013

WOW Gospel 2004


"WOW Gospel 2004"
30 of the year's top gospel artists & songs
This Compilation
® & © Zomba Recording Corporation

Song List
"You Are My Daily Bred"- Fred Hammond
"You Are God Alone"- Marvin Sapp
"Holy"- Donnie McClurkin
"We Need a Word From the Lord"- Vickie Winans
"It's In My Heart"- Harvey Watkins Jr.
"Right On Time"- Lee Williams & the Spiritual QCs. 
"View the City"- Rizen
"Let It Rain"- Bishop Paul Morton & the FGBCF Mass Choir
"My Everything"- Richard Smallwoord & Vision
"Nobody Like Jesus"- Darwin Hobbs & Shirley Murdock
"Jesus, Jesus, Jesus"- Aaron Neville
"Message In the Music"- Debra Killings
"Higher In the Lord"- Beverly Crawford
"There's Nothing Too Hard"- Lamar Campbell & Spirit of Praise
"This Joy"- Yolanda Adams
"All My People"- Lil iROCC
"Thank You"- Sandtown


Em discurso na ONU, primeiro-ministro de Israel afirma que “as profecias bíblicas estão se cumprindo nos nossos dias”


No dia 1º de Outubro, o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, discursou na Assembleia Geral das Nações Unidas apresentando como principais assuntos a relação entre Israel e a Palestina e o temor de um iminente ataque por parte do Irã. Em suas colocações sobre o Irã, Netanyahu ressaltou os perigos da existência de um programa nuclear iraniano e afirmou que “as profecias bíblicas estão se cumprindo nos nossos dias”.

Durante seu discurso, que durou cerca de meia hora, Benjamin Netanyahu criticou o recente discurso conciliador apresentado pelos representantes do Irã, negando a existência de um programa nuclear armamentista no país. Ele falou diretamente também do novo presidente iraniano, Hassan Rohani, ressaltando que quando o atual presidente foi chefe do Supremo Conselho Nacional de Segurança do Irã, entre 1989 e 2003, deu o aval do governo a atentados terroristas que dizimaram centenas de pessoas.

- Ele é um lobo que acha que pode colocar lã em cima dos olhos da comunidade internacional – afirmou sobre Rohani.

- Hoje a nossa esperança para o futuro é desafiado por um Irã com armas nucleares que procura nossa destruição – ressaltou o primeiro ministro israelense, ressaltando que “nos últimos três anos, o Irã tem ordenado, planejado e perpetrado ataques terroristas em 25 cidades nos cinco continentes”.

- Há dois anos, agentes iranianos tentaram assassinar o embaixador da Arábia Saudita em Washington, e apenas três semanas atrás, um agente iraniano foi preso tentando coletar informações sobre possíveis ataques contra a embaixada americana em Tel Aviv – citou.

- Senhoras e senhores, instalações nucleares subterrâneas, reatores de água pesada, centrífugas avançadas, mísseis balísticos intercontinentais. Veja, não é que é difícil encontrar provas de que o Irã tem um programa nuclear, um programa de armas nucleares; é difícil encontrar evidências de que o Irã não tem um programa de armas nucleares – completou o primeiro ministro, que afirmou ainda que se as outras nações não desejam enfrentar o Irã de maneira rígida, Israel está pronto para se defender sozinho.

Netanyahu afirmou ainda a intenção do estado de Israel em ter paz com os palestinos, mas ressaltou que para isso é necessário que haja “reconhecimento mútuo, no qual um Estado palestino desmilitarizado reconhece o Estado judeu de Israel”.

Ao fim de seu discurso, ele disse que o povo de Israel, antes um “povo espancado”, se transformou em uma nação próspera e totalmente capaz de se defender, afirmando que estamos presenciando o cumprimento de uma profecia bíblica sobre Israel.

- No nosso tempo estão sendo cumpridas as profecias bíblicas. Como disse o profeta Amós [9:14-15], Eles construirão de novo as cidades que estavam em ruínas e morarão nelas. Farão plantações de uvas e beberão do seu vinho; cultivarão pomares e comerão as suas frutas. Plantarei o meu povo na terra que lhes dei, e eles nunca mais serão arrancados dali – afirmou o primeiro ministro, que finalizou seu discurso dizendo, em hebraico: – Senhoras e senhores, o povo de Israel voltou para casa para nunca mais ser arrancado dela novamente.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/

Primeira igreja evangélica do Brasil foi fundada por índios, afirma historiadora

O surgimento das igrejas evangélicas no Brasil é comumente associado à chegada de missionários protestantes em meados do fim do século XIX, mas essa história acaba de ganhar um capítulo prévio.

A historiadora e professora cearense Jaquelini de Souza acaba de lançar o livro A Primeira Igreja Protestante do Brasil, pela editora Mackenzie, contando a história da Igreja Reformada Potiguara, fundada por índios após a invasão holandesa a Pernambuco.

Segundo as pesquisas de Jaquelini, os índios Paraupaba e Poty foram levados voluntariamente por holandeses à Europa em 1625, onde receberam educação formal e foram convertidos ao protestantismo. De volta ao Brasil cinco anos depois, passaram a anunciar o Evangelho com o apoio de holandeses que ainda estavam por aqui.

“Já era a Igreja Potiguara porque, teologicamente, havendo dois ou três reunidos em nome de Deus, independentemente do lugar, está ali uma igreja”, afirma a historiadora em seu livro, de acordo com informações da IstoÉ.

Em 1654, com a luta dos portugueses para expulsar os holandeses de Pernambuco, os índios fugiram para a Serra do Ibiapaba, a 750 quilômetros do litoral pernambucano, para se refugiarem de retaliações dos portugueses, que eram católicos.

No Ceará, anunciaram o Evangelho dentro da doutrina protestante para outros índios, e formaram a igreja de maneira mais organizada. “Por isso, argumento que foi só depois da expulsão dos holandeses que vimos aflorar a verdadeira Igreja Potiguara”, diz Jaquelini.

O padre jesuíta português Antônio Vieira, foi designado pela Igreja Católica para investigar o que se passava na Serra do Ibiapaba, e relatou à Companhia de Jesus que a região era como uma “Genebra de todos os sertões”, em referência à cidade suíça que foi o berço do protestantismo.

Em seu relato, o padre diz que os índios “estão muitos deles tão calvinistas e luteranos como se nasceram em Inglaterra ou Alemanha”. Apesar dos esforços de seus fundadores, sem apoio, a primeira igreja evangélica do Brasil se desfez ainda no século XVII, quando alguns dos remanescentes do grupo inicial teriam se juntado aos opositores dos portugueses durante as Guerras dos Bárbaros a partir de 1688, enquanto outros teriam retornado ao catolicismo ou às suas crenças nativas.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/

Menino de 10 anos que sonha em ser pastor causa comoção ao pedir para ser as “pernas de Deus” para irmão com paralisia


Aos 10 anos de idade, um menino norte americano chamado Tobias Bass chamou a atenção do país ao escrever uma carta pedindo para ser as “pernas de Deus” de seu irmão mais velho Titus, de 11 anos, que tem paralisia cerebral.

Morador de Oklahoma City, Tobias tem como sonho se tornar pastor evangélico, e enviou uma carta para uma emissora televisiva local – News 9, KWTV, afiliada do canal CBS, pedindo um carrinho emprestado para que pudesse participar de uma corrida ao lado de seu irmão.

- Meu irmão de 11 anos tem paralisia cerebral, é surdo e perdeu seu estômago no ano passado. [...] Ele chora quando vê crianças brincando na rua, porque quer participar. [...] Minha mãe é professora e não pode pagar um carrinho ideal para participarmos de uma corrida – disse o garoto em sua carta, inspirado pelo pastor Craig Groeschel, da LifeChurch.tv.

- Ele [Craig] disse que temos que ser mãos e pés de Deus, mas eu vou ficar com as pernas – completou o garoto, que ainda se voluntariou para ser as “pernas” de outros necessitados.

De acordo com o The Christian Post, Tobias Bass conseguiu seu objetivo com a carta, e o carrinho para seu irmão Titus foi doado pela ABLE Tech. Com o carrinho os irmãos participaram juntos de uma corrida de 5 quilômetros no final de setembro.

Hubbard Bass, mãe de Titus e Tobias, comentou a participação dos filhos na competição afirmando que “essa corrida foi o céu”, e elogiou o gesto de seu filho que sonha em ser pastor.

- Seu espírito enche os espaços e preenche os cantos – desse Hubbard sobre seu filho Tobias.

Por Dan Martins para o Gospel+

Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Definindo a Enganação: O Que É o Yôga, o Misticismo, a Nova Era e o Ocultismo?

Fonte: Forcing Change, Volume 4, Edição 4

"Ninguém de maneira alguma vos engane... Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?"[2 Tessalonicenses 2:3-5].
A palavra "imperativo" é definido como "Um mandamento; uma ordem, uma obrigação; um dever." [1]. Aplicada ao mundo da espiritualidade e da terminologia, diríamos que é "imperativo" que definamos nossos termos. É parte do nosso dever de cristãos com discernimento saber o que os termos espirituais significam e ficar longe daquilo que possa nos prejudicar. Deixar de fazer isto pode ser desastroso.

Seitas, Ocultismo, Nova Era

Muitos cristãos hoje não têm ideia do que está sendo referido quando encontram certas palavras e expressões. Termos como Nova Era, ocultismo, seitas, espiritualidade contemplativa, Yôga (NT: também se usam as ortografias Ioga e Yoga), Reiki, Palavra da Fé, Confissão Positiva e "oração centrante" são frequentemente usados nas conversações "espirituais". Devido à ignorância, as pessoas sem discernimento frequentemente aderem a esses movimentos espirituais alternativos e se desviam da verdade. Ao definir termos como esses, não tentaremos depreciar os líderes de grupos ou categorizar os indivíduos como "malignos", "grosseiros" ou "imorais". Estamos simplesmente definindo termos que descrevem movimentos, ensinos, grupos e indivíduos que estão envolvidos com doutrinas ou práticas que geralmente são consideradas como desvios das doutrinas do cristianismo histórico.

O Que É uma Seita?

O termo "culto" (ou seita) está baseado em uma palavra em latim relacionada com a agricultura (cultu), que significa cultivo e, frequentemente, é usado em relação a uma estrutura religiosa ou um sistema de crenças que tem significados singulares às suas disciplinas ou grupo. No ambiente cristão, o termo "seita" pode se referir a um sistema de crenças religiosas ou rituais que estão polarizados em torno dos erros de interpretação do fundador ou líder a respeito da pessoa bíblica de Jesus Cristo.
Em muitos casos, dentro e fora da igreja, o termo "seita" tem sido usado para descrever qualquer grupo religioso que é visto como estranho ou perigoso. As pessoas também usam a palavra "seita" para descrever líderes religiosos ou organizações que utilizam controle abusivo, manipulador ou ilegal sobre as vidas de seus seguidores.
Geralmente os cristãos consideram que as seitas ensinam doutrinas que não estão em conformidade com a essência histórica da fé cristã. Neste sentido, "seitas" e "ensinos de seitas" derivam de vários desvios das doutrinas essenciais do cristianismo clássico. Além disso, como mencionado anteriormente, a maioria das "seitas" gira em torno de uma interpretação biblicamente incorreta da pessoa e da obra de Jesus Cristo. Na maioria dos casos, grupos que afirmam serem cristãos, mas que se desviaram seriamente das doutrinas centrais da fé cristã (Deus, Jesus Cristo e salvação) devem ser reconhecidos como "seitas não-cristãs", ou "seitas pseudocristãs". Isto é, eles dizem que são cristãos e parecem ser cristãos, porém claramente não são cristãos de forma alguma (por exemplo, as Testemunhas de Jeová, os mórmons, a Ciência Cristã, os cristandelfos, etc.). Teologicamente, esses não são grupos cristãos e não podem ser chamados de cristãos, pois seus ensinos antibíblicos atacam os fundamentos da fé cristã.

O Que É o Oculto?

O termo "oculto" vem do latim occultus, ou "escondido". A palavra "oculto" é geralmente usada para descrever poderes ou rituais mágicos e religiosos misteriosos e sobrenaturais.
Em toda a história, os praticantes do ocultismo tentaram obter poder ou conhecimento sobrenatural longe do Deus da Bíblia. O termo "oculto", ou ocultismo, geralmente se refere às práticas espirituais e ensinos secretos da feitiçaria, do satanismo e do neopaganismo. Ele também pode se referir a diversas formas de atividade psíquica, como astrologia, sessões espíritas, leitura das mãos, etc.
A Palavra de Deus condena enfaticamente o ocultismo em todas as suas formas. A razão? Uma vez que um praticante ocultista abra essa porta, as forças demoníacas inevitavelmente passarão por ela. Todos aqueles que se envolvem no ocultismo, incluindo os cristãos, colocam-se em oposição hostil ao Criador do universo. Além disso, as estatísticas revelam que os praticantes de ocultismo em todo o mundo frequentemente sofrem as consequências da ilusão, psicoses, paranoia, doenças não diagnosticáveis, imoralidade — incluindo perversões sexuais — possessão demoníaca, tendências suicidas, etc. É por uma boa razão que Deus nos diz para não termos nada que ver com essas atividades!

O Que É a Nova Era?

O Movimento de Nova Era é um sistema de crenças que engloba milhares de crenças autônomas e, frequentemente, até contraditórias. Os praticantes de Nova Era normalmente utilizam métodos e técnicas ocultistas para obterem "iluminação", "equilíbrio energético" e a canalização. Na verdade, a Nova Era é o antigo paganismo vestido com um traje do século 21.
O Movimento de Nova Era toma emprestado sua teologia das religiões orientais panteístas. Muitas de suas práticas vêm do ocultismo ocidental do século 19, que foi trazido para o Ocidente por líderes religiosos orientais, fundadores de seitas, instrutores de Yôga, etc. A Sociedade Teosófica, um grupo fundado no fim do século 19, misturou religiões orientais com a magia ocidental — e depois introduziu essa mistura espiritual na Europa e na América do Norte. O Movimento de Nova Era em seu contexto moderno foi em grande parte produzido pela Teosofia.
Índice das Seitas e Religiões declara que aqueles que estão envolvidos no Movimento de Nova Era geralmente aderem a uma ou mais das seguintes crenças (frequentemente em conjunto com metodologia ocultista):
  1. Tudo é um, a realidade inteira é parte do todo.
  2. Tudo é Deus e Deus está em tudo (panteísmo e panenteísmo).
  3. O homem é Deus, ou uma parte de Deus.
  4. O homem nunca morre, mas continua a viver por meio da reencarnação.
  5. O homem pode criar sua própria realidade e/ou seus valores por meio da consciência transformada ou dos estados alterados de consciência.

O Que É o Misticismo?

O misticismo é um assunto vasto. Os místicos e os dicionários definem o misticismo em uma infinidade de formas. Aqui está uma definição bem básica do Dicionário On-line Miriam-Webster:
Misticismo
Função: substantivo.
1: a experiência da união mística ou comunhão direta com a realidade final descrita pelos místicos, 2: a crença que o conhecimento direto de Deus, a verdade espiritual, ou a realidade final podem ser atingidas por meio de experiência subjetiva (como a intuição ou compreensão), 3 a: vaga especulação: uma crença sem base sólida, b: uma teoria que postula a possibilidade de aquisição direta e intuitiva de conhecimento ou poder inefáveis.
Eis aqui como o Concise Dictionary of the Occult and New Age (Dicionário Conciso do Ocultismo e da Nova Era) define o misticismo:

"A visão que a conscientização da Realidade Final pode ser obtida por meio de um estado elevado da percepção mental. A experiência mística é destinada a levar os participantes para além das fronteiras da realidade por meio de uma sucessão de sensações físicas, resultando na percepção da comunicação direta com o deus interior. O objetivo é se tornar despertado para a deidade interior, desta forma unindo-se com a força da vida universal. Compartilhando nesse objetivo comum estão a Realidade Maior da Nova Era, o satori do Zen Budismo, o samadhi do Yôga, e o nirvana do Hinduísmo... O misticismo da Nova Era ganhou sua popularidade inicial durante os anos 1960s. Místicos orientais prometeram aos seus seguidores liberdade pessoal, satisfação espiritual e um conjunto ilimitado de capacidades inatas. Ainda hoje, os proponentes dizem aos iniciados que eles poderão alcançar estados alterados de consciência por meio da autodisciplina, das dietas, da meditação e do uso de drogas alucinógenas. Eles apresentam esses iniciados aos mestres já exaltados, que os guiarão em sua jornada rumo à iluminação. Os místicos da Nova Era relatam sensações de euforia, paz e unidade universal, bem como uma renovação das energias e uma maior apreciação das belezas do planeta. Eles asseguram que as forças da vida universal fizeram com que eles dessem um salto intuitivo na compreensão e na criatividade. Veja também: Estados Alterados, Movimento de Nova Era, Satori, Meditação Transcendental."
Nota Sobre o Misticismo:
Os leitores devem observar que os cristãos que praticam o Yôga, a "oração centrante" contemplativa, "a visualização de Jesus", que cantam e repetem para si mesmos "mantras" experimentam exatamente a mesma coisa conforme a descrição acima — "Despertamento para a deidade interior, desse modo a união com a força da vida universal".
Cristãos sem discernimento estão pegando conceitos, técnicas e métodos místicos e "compartilhando neste objetivo comum" (sem base bíblica) de experimentar a "Realidade Maior da Nova Era, o satori do Zen Budismo, o samadhi do Yôga, e o nirvana do Hinduísmo..." Isto deve causar sério alarme a qualquer um que professe seguir o Jesus Cristo bíblico, porém esteja envolvido na promoção desses caminhos espirituais alternativos.

O Que É o Yôga?

Dicionário Conciso do Ocultismo e da Nova Era, escrito por Debra Lardie, descreve o Yôga da seguinte forma:

"Uma disciplina física e mental de origem hindu. O hinduísmo ensina que o eu é divino e distinto da atividade associada com o corpo, mente e vontade. Por meio do sistema de exercícios do Yôga, as pessoas podem treinar sua consciência para controlar o corpo e a mente e, desse modo, alcançar um estado mais elevado de consciência...” [2].
"Por meio da prática regular do Yôga, as pessoas podem alcançar perfeita compreensão espiritual, tranquilidade e bem-estar, experimentando a liberdade da ignorância, do sofrimento e, por fim, alcançar o renascimento." [3].
Em seguida, esse dicionário passa a descrever a etimologia da palavra "yôga":
"O nome 'yôga' vem de um termo em sânscrito que significa 'união'. Essa etimologia se encaixa com a filosofia subjacente do yôga. Os hindus afirmam que Deus é uma fonte vital de energia a partir da qual a realidade emana. As pessoas estão conectadas a essa força universal da vida e são arquétipos dela. De acordo com o ensino hindu, a situação atual da humanidade é causada por uma falta de conscientização com esse elo vital entre as pessoas e a consciência cósmica." [4].
O objetivo do Yôga:
"O objetivo do Yôga é ajudar os praticantes a reexperimentarem sua união com o eu universal. À medida que as pessoas praticam o Yôga, um nível mais elevado de conexão com a Harmonia infinita resultará. A visão delas do mundo será radicalmente modificada como uma particularização da Realidade Maior." [5].
Existem diversos tipos:
"Existem diversos tipos de Yôga. Jnana Yôga refere-se tanto ao caminho da discriminação e da sabedoria, enquanto que Bhakti Yôga se refere ao caminho do amor e da devoção a um deus pessoal. Karma Yôga se refere ao caminho da ação altruísta, enquanto que Hatha Yôga, que é a mais praticada no Ocidente, enfatiza as posturas e posições físicas. Japa Yôga requer a repetição de mantras, ou sons sagrados, para capacitar a pessoa a se concentrar sem ser interrompida pelas distrações externas. Kriya Yôga habilita os devotos a canalizarem a energia cósmica para dentro de suas almas de modo a estabelecerem uma união harmoniosa da mente, corpo e espírito, liberando poderes inatos milagrosos. Kundalini Yôga enfatiza a abertura dos centros físicos de energia, chamados de chakras, supostamente localizados ao longo da coluna vertebral; isso desperta a kundalini, uma força cósmica que está enrolada na base da espinha." [6].
Os gurus ensinam técnicas espirituais:
"Exercícios típicos, como aqueles encontrados em Hatha Yôga, são praticados sob a tutela de um guru, ou iogue, um guia religioso pessoal e instrutor espiritual. Os gurus ensinam os alunos a combinarem diversas técnicas de respiração com os ásanas, ou posturas de relaxamento. Em cada uma das posturas, os alunos precisam primeiro se colocar na posição, mantê-la por certo período de tempo e, finalmente, sair da posição." [7].
E agora chegamos ao ponto em que essa autora diz claramente como os ocidentais têm erroneamente considerado o Yôga como "meros exercícios de respiração e de relaxamento", quando na realidade, "a prática do Yôga serve como uma porta para o misticismo e ocultismo orientais". A autora Debra Lardie diz:
"Alguns no Ocidente pensam incorretamente no Yôga como meros exercícios respiratórios e de relaxamento para praticar o alongamento e fortalecer os músculos do corpo, estender e alinhar a coluna vertebral e melhorar a circulação cardiovascular. A prática do Yôga serve como uma porta para o misticismo oriental e para o ocultismo. Certas posturas, como a posição de lótus, são praticadas para ativarem os centros de energia psíquica. Exercícios específicos de respiração são praticados para inundar a alma com a energia cósmica que flutua no ar. Um guru pode fazer os alunos olharem fixamente para um único objeto, como por exemplo, uma vela, para desenvolverem e focarem a concentração. O guru pode então levá-los a entoar um mantra para esvaziarem suas mentes e se tornarem um com o objeto que está diante deles. O objetivo é alcançar cada vez mais estados meditativos elevados até atingir a união com a consciência cósmica. Esse estado de ser é caracterizado por um olhar vago e distante em que o devoto se torna receptivo à sabedoria esotérica da Mente Universal. Veja também. Chakra; Hinduísmo; Kundalini; Lótus; Mantra; Yogananda; Mparamahansa." [8].

Palavras Finais

Caro leitor: qualquer um que promova, ensine, pratique ou endosse formas de sectarismo, misticismo, ocultismo ou Nova Era está seriamente enganado e está enganando os outros! Os seguintes versos bíblicos devem ser seriamente considerados pelos cristãos e não-cristãos da mesma forma. Todos os que dão valor à vida humana devem evitar qualquer envolvimento com essas artes das trevas. A razão? Quando a pessoa abre a porta para o reino das trevas, os demônios estão mais do que dispostos a virem para terem contato com ela. Em Deuteronômio 18:9-14, Deus diz:
"Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR teu Deus não permitiu tal coisa."
É sua responsabilidade, e sua somente, ler sua Bíblia, discernir entre a verdade e o erro e "batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos". (Judas 3-4).
"Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal." [1 Tessalonicenses 5:21-22].
Algo muito importante a lembrar é o seguinte: colocar de lado o padrão bíblico da revelação divina de modo a ter uma "experiência com Deus" sempre terminará em desastre espiritual. O mundo do misticismo pagão (e cristão) e o reino do ocultismo fazem exatamente isto. Ambos rejeitam a verdade bíblica de forma direta, ou espertamente a redefinem de modo a justificar terem uma "experiência direta" sem base bíblica com o divino. Isto é feito em nome da espiritualidade e de acordo com a sabedoria dos homens, não segundo a sabedoria de Deus. O mundo da enganação satânica está baseado em uma coisa: experiência!
É importante observar que as pessoas pensam que se têm uma experiência espiritual, ela deve ter vindo da parte de Deus. Mas, de qual Deus? De Jeová, o Deus da verdade? "Nas tuas mãos encomendo o meu espírito; tu me redimiste, SENHOR Deus da verdade." [Salmos 31:5]. Ou de Satanás, o deus deste século? "Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus." [2 Coríntios 4:3-4].
A essência do paganismo, do ocultismo e do misticismo é ter uma experiência espiritual direta com o divino — mas ao fazer isto, intencionalmente ou não, sacrificar a revelação divina na forma da verdade bíblica e o discernimento. Quando a verdade bíblica é rejeitada ou distorcida de modo a se encaixar na espiritualidade engenhosamente fabricada por alguém, pode-se ter certeza que a enganação ocorrerá. É assim que Satanás trabalha!
Aqui está a razão para a definição de termos neste artigo: para livrar os cristãos de se envolverem — ingenuamente ou abertamente — com a espiritualidade pagã que leva às trevas espirituais e ao desespero. Mais do que nunca antes, os cristãos dos dias atuais precisam ter discernimento. Fiquemos longe do paganismo, do ocultismo, do misticismo e da espiritualidade de Nova Era que estão agora prevalecendo no mundo atual.

Notas Finais:

  1. http://www.answers.com/topic/imperative.
  2. Debra Lardie, Concise Dictionary of the Occult and New Age (Kregel Publications, 2000), págs. 288-289.
  3. Ibidem.
  4. Ibidem.
  5. Ibidem.
  6. Ibidem.
  7. Ibidem.
  8. Ibidem.


Autor: Chris Lawson, site em http://www.spiritual-research-network.com; versão em Forcing Change
Data da publicação: 6/3/2011
Transferido para a área pública em 17/6/2012

Fonte: http://www.espada.eti.br/enganacao.asp